1/11/2010



O símbolo perdido

Encerrei 2009 lendo O símbolo perdido (Sextante, Rio de Janeiro, 2009, 489 páginas), de Dan Brown, autor de O código da Vinci. O símbolo perdido também encerra uma fase da minha vida.

Rosas de Natal

Em Brasília, nos dias quentes, as mulheres povoam as ruas e os shoppings trajando roupas folgadas e decotadas. Recendem a goiaba, a Chanel Número 5, a maresia e a gim. Lembras-te, Fernando Canto, daquela noite, quando nos embriagamos com gim? Houve outras noites regadas a daiquiri, Cerpinha e Strega.

O deputado

O deputado parecia uma égua prenha de tão barrigudo. Acabara de comer numa marmita de um quilo a mesma comida gordurosa que seu chefe de gabinete, e soltava pequenos arrotos em sequência.

De tão azul, sangra

O poema que se segue é do meu primeiro livro-solo, Sob o céu nas nuvens, edição do autor, publicado em 1980, em Belém do Pará, com prefácio do poeta amazonense Jorge Tufic e orelhas assinadas pelo escritor amapaense Fernando Canto.

Almoço de trabalho no Porcão

Este conto integra meu livro O Casulo Exposto, enfeixe de 17 histórias curtas ambientadas no submundo de Brasília, inclusive o submundo político, que, aliás, está sangrando. O Casulo Exposto pode ser encontrado nas livrarias e sites das principais redes livreiras do país, como Saraiva, Leitura e Cultura.

O PSDB é o responsável
pelo retrocesso brasileiro

O presidente Lula e seu Partido dos Trabalhadores (PT) conseguiram, em apenas sete anos de poder, instalar uma ditadura no Brasil, ainda não a dos seus sonhos, como a de Fidel Castro, ou a de Hugo Chávez, nas quais o staff come lagosta e o povo, capim.

Confraria dos Mensalistas

Este conto foi inspirado no mensalão, uma quadrilha de deputados mancomunada com o governo Lula, disposta a votar o que Lula quisesse. O Ministério Público identificou 40 quadrilheiros. Confraria dos Mensalistas integra o livro O casulo exposto, à venda nas rede de livrarias Saraiva, Cultura e Leitura.

Unicórnio Azul

O conto que se segue integra meu último livro, O casulo exposto (LGE Editora, Brasília, 2008, 153 páginas, R$ 28), à venda em todo o Brasil nas livrarias e sites das redes Saraiva, Cultura e Leitura. São 17 histórias curtas ambientadas em Brasília.
O perfume das virgens ruivas - 11/11/2009
Naquela época eu trabalhava no jornal Diário do Pará e na revista Enfoque Amazônico, hoje, Amazon View. À noite, eu estava quase sempre no café de um amigo meu, na Avenida Nazaré, quase ao lado da Basílica, onde ele era o barman.

Inferno Verde

O conto Inferno Verde foi publicado inicialmente no livro Trópico Úmido, de 2000, e depois em O casulo exposto, à venda nos sites e redes de livrarias Saraiva, Cultura e Leitura. Segue-se trecho, ambientado em Brasília, desta história curta que se desenrola ainda em Belém e na ilha do Marajó, no estado do Pará.

Nenhum comentário: