1/19/2018

FENAJ





 A violência contra jornalistas diminuiu em 2017, em comparação com 2016. Foram registrados 99 casos de agressões contra a categoria, 38,51% a menos do que em 2016, quando houve 161 agressões. A FENAJ apresenta seu relatório anual amanhã, dia 18, na sede do Sindicato dos Jornalistas do Município do Rio de Janeiro


Campanha Salarial de RTV: SJSP
apresenta contraproposta dos jornalistas
 
    
Após realizar diversas assembleias em todo o Estado, com a participação de cerca de 150 jornalistas que fecharam a contraproposta, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo (SJSP) se reuniu com as empresas na última terça-feira (16) para avançar no fechamento da negociação da Campanha Salarial Rádio e TV 2017-2018.
De forma majoritária e consensual, os jornalistas aprovaram o reajuste salarial de 3% com correção das alíquotas da PLR em 5%, garantia de direitos já presentes na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) e a inclusão de pontos que preservam as relações de trabalho diante da reforma trabalhista.
Entre os pontos prioritários, a categoria reivindica a manutenção do quinquênio, que corresponde ao acréscimo de 3% do salário a cada cinco anos no mesmo emprego; a estabilidade pré-aposentadoria; o direito do trabalhador regular suas férias sem fracionamento; e a estabilidade de um mês para mulher que retorna da licença-maternidade. Além disso, jornalistas são contra a instituição da terceirização indiscriminada, do trabalho intermitente e querem manter a assistência do Sindicato em caso de demissão, entre outras reivindicações.
O SJSP vai enviar a nova contraproposta oficialmente até amanhã (17) e aguarda posicionamento das empresas para continuar a negociação e estender a validade da CCT vigente, que vence na próxima sexta-feira (19).
O Sindicato propôs que a CCT seja estendida até 28 de fevereiro e concordou com a manutenção do calendário de reunião semanal de negociação, dispondo-se a negociar duas ou três vezes por semana caso seja necessário.
O Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão no Estado de São Paulo (Sertesp) deve se posicionar até quinta-feira (18) sobre a validade do acordo e o prosseguimento da negociação.

*Com informações do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo

Foto: Cadu Bazilevski

 Sindicato do Município do Rio entrega pauta de
reivindicações e patrões de de Rádio e TV
 promete o inicio das negociações este mês
 
Após a entrega da pauta de reivindicações, pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro, em dezembro passado, o presidente do Sindicato das Empresas Proprietárias de Jornais e Revistas do Município do Rio de Janeiro (SERTERJ), Fernando Gimenez, assinou o Termo de Garantia da Data-Base dos trabalhadores desse segmento, estabelecida em 1° de fevereiro de 2018. A primeira rodada de negociação está marcada para esta quinta-feira, 18 de janeiro. Na agenda, mais duas reuniões estão marcadas para os dias 25 de janeiro e 1° de fevereiro 2018.
A data-base é o período que marca o momento em que os trabalhadores buscam o reajuste salarial anual, aumentos reais da remuneração, a manutenção de benefícios (por exemplo, o vale-refeição) e a obtenção de outros tantos, como plano de saúde etc.
Na Pauta de Reivindicações, aprovada na assembleia dos trabalhadores, no final do ano passado, o reajuste dos salários dos empregados em empresas de rádio/TV e jornais/revistas deverá ser de 100% da inflação medida pelo INPC acumulada no período de fevereiro de 2017 a janeiro de 2018. Os salários deverão, também, ser reajustados em 6,5% a título de aumento real. Os trabalhadores reivindicam, ainda, que o valor mínimo para a jornada de 5 horas diárias seja estabelecido no valor de R$ 3.600,00, a partir de 1° de fevereiro, data-base dos jornalistas do município do Rio de Janeiro.

*Com informações do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro

Sindjorn faz campanha em apoio aos servidores públicos do governo e prefeituras municipais com salários atrasados
 
O Sindicato dos Jornalistas do Rio Grande do Norte vem se manifestando a favor dos servidores públicos do Governo do Estado e das prefeituras municipais que passam dificuldades porque os salários estão atrasados. Esta semana, a diretoria do SINDJORN recebeu as entidades representativas de categorias de segurança pública do Estado. Os diretores declararam apoio à causa dos Policiais Militares, Bombeiros e Policia Civil do RN, como também aos demais funcionários públicos que passam pela mesma situação de atraso nos vencimentos.
 
Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte se solidarizam com os servidores do Governo do Estado e Prefeituras Municipais que passam por diversas dificuldades, inclusive alimentar, devido ao atraso no recebimento dos vencimentos a que tem direito. “A falta de infraestrutura nos diversos órgãos do Governo do Estado como Saúde, Educação e principalmente na Segurança Pública, nos faz refletir e chama a sociedade a participar desse processo de transformação na melhoria de todas as instâncias oferecidas à comunidade Potiguar”, diz o documento.
O SINDJORN reafirma a luta por uma sociedade justa, plural e democrática, que só com a dignidade ao trabalhador sendo respeitada em todas suas instâncias, seja salarial, material de trabalho e condições de exercer a sua função, poderá ser alcançada.
* Com informações do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Norte
♦♦♦
 
Sindicato do Ceará retoma visitas aos locais de trabalho, com foco nas TVs e assessorias
O Ano Novo começou com muito trabalho para a diretoria do Sindicato dos Jornalistas do Ceará (Sindjorce). Após fechar duas convenções coletivas de mídia impressa, no fim de 2017, e uma convenção de mídia eletrônica (ainda em outubro), os diretores reiniciaram, este mês, as visitas aos locais de trabalho, com destaque para as assessorias de imprensa e emissoras de televisão.
Além de levar a Cartilha do Jornalista, o Manual de Cobertura de Conflitos, o folder da campanha de sindicalização e panfletos de alguns dos atuais convênios disponíveis aos associados, os dirigentes sindicais estão entregando aos colegas um moleskine de bolso. O “mimo” tem agradado os jornalistas e estagiários das redações. Já foram distribuídos no Grupo O Povo (incluindo a Rádio O Povo CBN), TV Ceará e TV Cidade.
Entre as assessorias, as visitas começaram pelo Paço Municipal e Secretaria de Cultura de Fortaleza (SecultFor). “Nosso objetivo é dialogar com os colegas, ouvir sugestões e esclarecer sobre os direitos dos jornalistas”, afirma a presidente do Sindjorce, Samira de Castro.
Em breve, o Sindjorce retoma seu calendário de cursos e formações complementares, além de rodas de conversa e outros momentos de integração com a categoria. “2018 marca os 65 anos do Sindicato e estamos preparando uma programação com atividades diversificadas”, acrescenta o secretário-geral, Rafael Mesquita.
*Com informações do Sindicato dos Jornalistas do Ceará
 Trabalhadores transformarão Porto Alegre
na capital da democracia dia 24 de janeiro
 Em reunião da Executiva da CUT-RS, realizada na quarta-feira (10), na sede da entidade, ficou evidenciada a disposição dos movimentos sindical e social de transformar Porto Alegre na capital da defesa da democracia e dos direitos entre os dias 22 e 24 de janeiro. Segundo relatos das representações de diversas categorias presentes ao encontro, estão sendo organizados comitês, grupos de trabalho, blocos de resistência e outras iniciativas, em diferentes regiões do RS, com o objetivo de promoverem ações em defesa da democracia e do direito do ex-presidente Lula concorrer à presidência da República na eleição de 2018. Muitos grupos devem estar em Porto Alegre para participar da vigília, que inicia no dia 23 e se estenderá até o final do julgamento, marcado para o dia 24, a partir das 8h30.
O julgamento acontecerá no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em frente ao Parque da Harmonia. Nesta data acontece o julgamento do recurso do ex-presidente Lula no processo referente ao caso do tríplex do Guarujá (SP), a partir de decisão do juiz Sérgio Moro, de primeira instância que o condenou sem provas porque não tem o crime.
O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, destacou a importância da participação e a responsabilidade de cada um no que definiu como um momento histórico. “Os olhos do mundo estarão em Porto Alegre e será um momento importante para desmascarar setores do judiciário e da mídia que atuam como verdadeiros militantes políticos a serviço dos tucanos e do capital, com o claro objetivo de dar continuidade ao golpe implantado no Brasil para atacar e retirar direitos trabalhistas, fazer a reforma da previdência e retroceder nos programas sociais que estavam fazendo a diferença para milhões de brasileiros”, pontuou ele. Segundo Claudir, a organização tem sido no sentido de realizar mobilizações pacíficas, dentro do direito legítimo de se manifestar livremente, previsto na Constituição.
Panfletagem em todo o Estado
A extensa agenda de atividades inclui importantes ações preparatórias para os dias 22, 23 e 24 de janeiro. Desde a segunda-feira (8), por exemplo, iniciou um calendário de panfleteações de material da CUT-RS em diversas cidades do Estado, esclarecendo sobre o processo contra Lula e a sua relação com as reformas do Temer, entre elas a da previdência, prevista para ser votada dia 19 de fevereiro. O material está sendo distribuído nas portas das fábricas e outros locais públicos, como estações de trens, pontos de ônibus e espaços de grande circulação de pessoas.
Movimentos sociais e organizações comunitárias também estão se organizando, a partir de plenárias em bairros, para realizarem atividades nestes dias, especialmente no dia 24, marcando a data como um dia de defesa da democracia e do direito do povo escolher seus representantes, a partir da lógica de que eleição sem Lula é fraude, já que não há provas para a condenação do ex-presidente. Para o presidente da CUT-RS, a iniciativa demonstra o envolvimento da população no processo e evidencia que o povo está acordando para o golpe e para as manobras que têm sido articuladas para condenar o ex-presidente Lula.
‘Vakinha’ solidária
Outro ponto tratado na reunião foi a necessidade de solidariedade entre os trabalhadores, para possibilitar a participação de todos os setores nas atividades. Além de iniciativas como organização de comitês e de caravanas, foi reiterada a importância da participação na vakinha virtual, da Frente Brasil Popular, com objetivo de arrecadar recursos para dar estrutura às manifestações. As doações podem ser feitas no link https://www.vakinha.com.br/vaquinha/em-defesa-da-democracia-e-de-lula-ser-candidato-fbp-rs
*Com informações da CUT-RS do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul

Nenhum comentário: