2/21/2015

RAY CUNHA



Câmara tem musa nova: SHÉRIDAN DE ANDRADE 


BRASÍLIA - A deputada tucana de Roraima, o mais setentrional estado brasileiro, desembarcou em Brasília com uma grande responsabilidade. Primeiramente, ela é jovem (30 anos) e linda, rotulada pela mídia como musa da Câmara dos Deputados, por isso será inevitável se impor a um colegiado machista e que impera em todas as instâncias da casa, o que deverá tirar de letra, pois é psicóloga e, de 2008 a 2014, desenvolveu um trabalho social em Roraima premiado no exterior, trabalhando principalmente em prol da comunidade indígena e mestiça do estado, mostrando, por conseguinte, que é competente. E depois, é a mulher proporcionalmente mais votada do país, com 35.500 votos (a população estimada de Roraima é de 496.936 habitantes (IBGE/2014), 104.018 dos quais indígenas).
Em segundo lugar, Shéridan, como tucana que é, terá que compor com a oposição em um momento delicado para o país, quando se ouve nas ruas clamores pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff, do PT, e o país se fragmentando em sucata, à caminho de uma Venezuela (esta, está caminho de uma Cuba). E em terceiro lugar, Shéridan é representante do estado mais pobre da Federação, com PIB de R$ 6,341 bilhões, razão pela qual deverá trabalhar em dobro, se quiser, inclusive, se credenciar ao governo do seu estado.
TRÍPLICE FRONTEIRA EM LITÍGIO - Roraima é uma das regiões da Amazônia mais cobiçadas. Na tríplice fronteira em litígio Brasil, Venezuela e Guiana, nas terras indígenas Raposa e Serra do Sol, com 1.743.089 hectares, e na reserva Yanomami, dormem as mais ricas reservas minerais do planeta, especialmente de nióbio, o metal dos metais. Além do assunto política indigenista e exploração mineral na Amazônia, Shéridan já se pautou para debater um drama que perpassa a Hileia: o tráfico de pessoas, facilitado em Roraima por 1.922 quilômetros de fronteira com a Guiana e a Venezuela, esta, desmoronando.

Roraima, com 224,3 mil quilômetros quadrados, tem 15 municípios, o mais populoso dos quais Boa Vista, a capital, com 284 mil habitantes; e duas Áreas de Livre Comércio (ALC): em Boa Vista e Bonfim, únicas no país com incentivos fiscais na investimento a indústrias que utilizem matéria-prima da Amazônia Ocidental. Mas a pauta de exportação do estado é composta principalmente de soja e de madeira serrada.



Assim, a instalação de um parque biotecnológico, além da implementação de escolas técnicas voltadas para a economia local e de investimento na produção artesanal e no turismo deverão também ocupar bastante o tempo de Shéridan na busca por recursos na Esplanada dos Ministérios.


______________
•• RAY CUNHA – Escritor e Jornalista baseado em Brasília

Nenhum comentário: