11/16/2015

OUTEIRO


Escola da Pesca conclui capacitação de 90 alunos

Foto Adriano Magalhães

Marinheiro de primeira viagem. É dessa forma que Edilberto Melo se define. Ele faz parte do grupo de 90 pessoas que na última sexta-feira, 13, concluiu o curso de "Formação de Aquaviário; Marinheiro de convés; Motores e Máquinas", promovido pela Prefeitura de Belém em parceria com a Capitania dos Portos do Pará (CDP), desde o dia 9 de novembro, na Escola da Pesca.
Edilberto é funcionário da Escola da Pesca, vinculada a Fundação Escola Bosque no Outeiro, e apesar de ser filho de marinheiro, nunca havia tentado ingressar na carreira. "Esse foi o passo inicial, a partir de agora vou me dedicar ao máximo para seguir carreira. Estou muito feliz pela oportunidade", comemorou. 
De acordo com o coordenador do curso, o sub-oficial Jorge Luiz Silva, com a conclusão do curso, os alunos estão aptos à conduzir embarcações de até 12 metros, de forma segura, pelos rios da Amazônia. "A conclusão de mais esta turma é muito positivo, pois é a certeza que mais pessoas estão capacitadas para conduzir as embarcações, navegando com segurança nos rios e lagos". 
A formação foi direcionada aos alunos da Escola, funcionários e ribeirinhos, como a moradora da ilha de Jutuba, Siane Rodrigues, de 19 anos, que agora poderá pilotar as rabetas e lanchas com segurança. "Estudo na Escola da Pesca e sempre faço a travessia de Jutuba para Outeiro, mas, antes, isso era de forma irregular. Com minha carteira nas mãos, posso fazer o transporte de modo seguro".
A gestora da escola, Fátima Seabra, explica que para este curso foram inscritos 90 alunos, mas para o próximo, que tem previsão de acontecer em fevereiro de 2016, 95 pessoas já realizaram a pré-inscrição.
"Nossa maior demanda vem da comunidade ribeirinha. Muitos pescadores estão desempregados por não terem documento que os deixe aptos a realizar essas conduções. Com esta certificação, também estamos ajudando a garantir emprego e renda à comunidade, formando condutores marítimos", destacou Fátima. 
A Escola -  Na “Casa Escola da Pesca” pratica-se a chamada Pedagogia da Alternância, no qual os estudantes – em sua maioria filhos de ribeirinhos – passam 15 dias integralmente na instituição e, no restante do mês, voltam para as suas residências, onde aplicam os conhecimentos aprendidos em sala de aula. 
Durante o tempo em que estão na escola, os alunos estudam em regime integral. O currículo foi organizado em quinzenas, diferentemente do que acontece em uma escola regular. E, a cada quinzena, é trabalhado um eixo dentro da temática da Pesca e Aquicultura.
O aluno que termina o Ensino Fundamental na escola recebe também um certificado de qualificação em Pesca e Aquicultura. Já o egresso do Ensino Médio sai como técnico em Recursos Pesqueiros.
________________
Karla Pereira
Agência Belém


Nenhum comentário: