4/06/2016

NOSSO ANIVERSÁRIO

]

Jornal do Feio,
10 anos no ar




Há dez anos nesta data, 7 de abril, ou seja, dia em que circulou pela 1ª  vez um jornal no Brasil (1881) com as  características de um jornal propriamente dito, a "Gazeta da Tarde, editado por José do Patrocínio (foto)- iniciei com o apoio da Google este blog. Nos primeiros seis meses passei pelo “Controle de Qualidade” do Provedor e fui aprovado. A primeira edição do Jornal do Feio, foi ao ar no dia 07 de abril de 2006, um dia cheio de sol aqui em Icoaraci – um sol de Grace Kelly, como diria Ancelmo Goes, e “Dia Nacional do Jornalista”.
Atendi uma oferta do Provedor que estava começando a se expandir por estas plagas.
O blog modalidade que, também, estava se iniciando aqui no extremo norte do Brasil, se destinava a oferecer espaço para que as pessoas pudessem manifestar as suas opiniões pessoais, ou não, e dar oportunidade para outras de mostrarem as suas produções no campo literário,
Como jornalista - e lá se vão 49 anos de estrada – resolvi dar um norte para este espaço; isto é, os assuntos que iria divulgar: Pessoal. Falo muito pouco de mim, senão, quando sou acionado como agora. Icoaraci que é a minha terra e a amo de paixão; Direito, devido à minha formação; informações sobre as atividades da Prefeitura de Belém/Comus onde servi por 34 anos exercendo a profissão de berço, o jornalismo que é a minha cachaça e disso não faço segredo... embora tenha duas outras profissões – Publicitário, cujo registro – o primeiro de Belém, o Nº 1 – Livro 1 – Folha 1 na DRT – Pa, é meu... e Relações Públicas.
Essas duas últimas profissões as adquiri no Rio de Janeiro - que me hospedou por 15 anos e onde conclui o meu Curso de Direito - graças a Artplan Publicidade S.A., de Roberto Medina – o homem do Rock in Rio – ele está vindo ai só que... para Manáus - onde trabalhei por dez anos. Relações Públicas eu aprendi/desenvolvi na Artplan Produções, a mesma que trouxe ao Brasil Frank Sinatra, em cuja apresentação no Estádio Mário Filho (Maracanã), que reuniu 186 mil pessoas conferidas em relógio nos portões do então maior estádio do mundo, eu trabalhei com muito orgulho; e o falecido maestro Barry White.
Aliás, no jantar/apresentação de Frank Sinatra no Rio Palace Hotel  contou com a presença do saudoso Romulo Maiorana e algumas personalidades da terra, inclusive Vanildo Torres – que já não se encontra entre nós - e Abílio Couceiro, que me trouxe do Rio para trabalhar com ele na saudosa Mercúrio Publicidade.
RM me ligou lá na Artplan, encomendou as mesas no Rio Palace para ele e seus convidados,; e me instruiu que procurasse o empresário Wandevelde Xavier Pereira, titular da Tranzamazon - uma transportadora famosa por essas bandas -, e seu compadre, que morava num belo apartamento em Botafogo. Wandevelde pagaria as mesas. E pagou mesmo... em dinheiro vivo na sede da Artplan na Lagoa Rodrigo de Freitas,  - Rua Fonte da Saudade  esquina da Rua Vital de Negreiros - dois dias do antes do evento.
O Édson Salame me falou que Wandevelde, educadíssimo, faleceu já algum tempo.
Mas como eu falava neste blog, decidi dar espaço para todo mundo.
Muita gente escreveu por um ano, dois e depois sumiu.
Quem esteve comigo desde o início foi o “cabo” Thompson Mota. Ele escrevia uma coluna desde Santarém todas as semanas.
Depois, não deu mais notícias.
Ray Cunha, outro que me acompon há desde o início, escreve de vez quando, a partir de Brasília,
Hamilton Pinheiro, o nosso  saudoso “HP” após um ano e meio escreveu, mas o Grande resolveu intervir e o levou do nosso meio
Essa é a história do Jornal do Feio que estará no ar até quando a Google e os amigos permitirem.
Dizem que é minha cara.
Pensando bem, é mesmo.
Tim, tim
























Nenhum comentário: