1/14/2017

CRÔNICA DE SAMPA



FAMÍLIA KRATZ

E m 1961, quando eu tinha 10 anos de idade, meus pais se separaram, e eu e meus dois irmãos menores ficamos com a nossa mãe, meu pai constituiu outra família. 
Ficamos muito abalados, mas nesse ano recebemos a visita de um pastor americano, Jim Kratz, que mal sabia falar o português, que tinha assumido a Igreja Evangélica do Nazareno, recém inaugurada na mesma rua em que morávamos, no bairro de Indianópolis, aqui em Sampa.
Ele fez uma oração e nos convidou para conhecer a sua igreja. A minha família é de tradição católica, mas não frequentávamos nenhuma igreja na época. Fomos regiamente tratados, e passamos a frequentar os cultos, ouvimos as boas pregações do pastor e escolas dominicais ministradas por sua esposa Dona Carol, eles tinham dois filhos aqui no Brasil, o Jim e o Eldon,  - este último tinha quase a minha idade - e passamos a ser bons amigos. Hoje é o renomado pastor Eldon Kratz, e voltou para os Estados Unidos.
O pastor Jim, - que nós carinhosamente o chamávamos de Jaime -, era muito carismático, sempre com um sorriso, apertava forte as-mãos dos irmãos, e chamava a todos de jovem... e dizia sempre que eu era o seu amiguinho "predilito", - não conseguia pronunciar predileto.
Pense em um homem bondoso. Esse era o nosso pastor, comprava caixas de frutas no Ceasa e as levava para distribuir nos bairros pobres periféricos.
Era um excelente pianista gravou vários discos evangélicos, destaque para o LP Grandioso és Tu; tocava músicas clássicas, inclusive fora de São Paulo. lembro que tocou até no Teatro Amazonas, de Manaus.
Ele não gostava de viajar sozinho e, às vezes, nos levava para assistir as suas apresentações.
Só pra ter uma ideia do talento e prestígio desse saudoso pastor, hoje tem uma Escola renomada em Campinas com o seu nome.
A dona Carol, que nós a chamávamos carinhosamente de Carolina, também faleceu no ano passado em um condomínio para pessoas idosas em Bethany, Oklahoma.
Tentei me contactar com o pastor Eldon, mas não consegui. Espero que um dia ele possa ler o Jornal do Feio, - que é internacional-, e veja como eu e minha família somos gratos a eles por tudo que fizeram por nós e os irmãos da Igreja do Nazareno.
               
Excelente 2017 a todos.
Paz, amor, saúde e que Deus ilumine os nossos governantes, para que eles consigam reverter a situação crítica do nosso país, para que possamos voltar a sorrir novamente, que é uma boa característica de nós brasileiros. 

PS. E para não perder o costume: para os conterrâneos paulistanos, e amigos de Belém e alhures, saudações são-paulinas.

Pastor Jaime, Carol e Eldon Kratz

♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Ricardo Uchôa Rodrigues


Nenhum comentário: