9/27/2010



Ao meu filho
Luís Eduardo



Apenas nesta manhã, eu vou sorrir quando vir – pelo computador –
o seu rosto, e rir mesmo sentindo vontade de chorar.
Apenas nesta manhã, eu vou deixar você escolher o que vai vestir, e sorrir e dizer o quanto você está ótimo.
Apenas nesta manhã - eu vou lembrar os seus primeiros anos no Rio de Janeiro - eu vou deixar a roupa para lavar de lado, pegar você e levá-lo ao parque para brincar.
Apenas nesta manhã, eu vou deixar a louça na pia e deixar você me ensinar a montar seu quebra-cabeças.
Apenas nesta tarde, eu vou desligar-me da vida, manter o computador fora do ar e imaginar sentado com você no quintal cabeludo - precise ser capinado - e soltar bolhas de sabão.
Apenas nesta tarde, eu não vou gritar nenhuma vez, nem mesmo resmungar, quando você gritar – como no passado em nossa casa na Pavuna: "papai vem bintar comigo!" - e acenar para o carrinho de sorvetes; e vou comprar um se ele passar.
Apenas nesta tarde, eu não vou me preocupar com o que você vai ser quando crescer.
Ainda mais, lógico.
Apenas nesta tarde, eu vou deixar você ajudar-me a assar biscoitos
e não vou ficar atrás de você tentando consertá-los.
Apenas nesta tarde, vamos à esquina de casa e comprar um sanduda

de cinco andares para nós dois, para que você possa ganhar dois brinquedos.
Apenas nesta noite, vou segurá-lo, imaginariamente, em meus braços
e contar-lhe uma história sobre como você nasceu – alvo, bonito,
de belos olhos azuis, grandão, careca com quatro quilos e 600 gramas e
- embora não pareça - como eu amo você..
Apenas nesta noite, eu vou deixar você espirrar a água da banho e não ficar nervoso.
Apenas nesta noite, vou deixar você ficar acordado
até tarde, enquanto ficamos sentados no pátio de casa, contando todas as estrelas

deste ceu lindo de Icoaraci.
Apenas nesta noite eu vou me aconchegar ao seu
lado por horas e perder meus shows favoritos na TV.
Apenas nesta noite, enquanto eu passar meus dedos
entre os seus cabelos enquanto você ora, eu vou simplesmente
ser grato a Deus por ter me dado – neste dia 27 de setembro - o maior e melhor presente do mundo.
Eu vou pensar nas mães e pais que procuram por seus filhos perdidos,
nas mães e pais que visitam a sepultura
de seus filhos ao invés de suas camas;
nas mães e pais que estão em hospitais vendo seus filhos sofrerem sem que isto tenha sentido e gritando por dentro que não podem mais suportar isto.

E, quando eu dar um beijo – virtual, claro! - de Boa Noite,
eu vou lhe segurar um pouquinho mais forte por um pouquinho mais de tempo.
E é então que eu vou agradecer a Deus por você
e não pedir nada a Ele, exceto mais um dia.
E que você seja o melhor e o maior biólogo deste planeta;
com beleza, inteligência e ética.

Parabéns Meu Filho.
Parabéns DUDU
.


Com amor.


Agradeço a ajuda de George Arlington

Nenhum comentário: