11/16/2009

Dênis Cavalcante assume a Academia Paraense de Jornalismo



O cronista e empresário Dênis Cavalcante toma posse nesta terça/17, como presidente da Academia Paraense de Jornalismo - juntamente com a sua diretoria - para um mandato de três anos. Com Dênis e sua diretoria serão empossados os jornalistas Paulo Renato Bandeira e Sheila Faro – presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Pará em suas respectivas cadeiras -vagas dos acadêmicos Benedito Wilfredo Monteiro e José Valente, respectivamente. Eles saudados pelo jornalista, escritor e advogado Célio Simões de Souza – o mais novo acadêmico efetivo e vitalício.
A solenidade que comemora, também, o 15º aniversário do Silogeu, acontecerá às 20 horas no auditório da Federação da Agricultura do Estado do Pará –-Palácio da Agricultura – Rua Dr. Moraes, esquina da Av. Governador José Malche, com a presença dos presidentes do Tribunal de Justiça e da Assembléia Legislativa. O presidente da FAEPA ,Carlos Xavier, se estará presente, como outros presidentes de Federações empresariais.
Além dos festejos pelos 15 anos da APJ, - cujo orador será o acadêmico Donato Cardoso de Souza – haverá uma homenagem póstuma ao acadêmico da Ubiratan Silva do Rosário, cadeira nº 30, falecido recentemente.
Os acadêmicos presentes receberão a Medalha dos 15 anos da ÁPJ e será confr conferida, pela primeira vez a COMENDA DO MÉRITO JORNALISTICO a cinco personalidades: Donato Cardoso, como fundador da APJ; Carlos Xavier, como grande benfeitor da Academia e os três Chefes de Poderes do Estado: Romulo Nunes (TJ), Domingos Juvenil (AL) e Ana Júlia Carepa (Executivo). Logo em seguida será servido um coquetel.

Eis os novos dirigentes da
Academia Paraense de Jornalismo:

Presidente: Dênis Cavalcante; 1º Vice Presidente: Francisco das Chagas Sidou: 2º Vice Presidente: Antônio José Teixeira Soares; 1º Secretário: Lucy Gorayeb Mourão; 2º Secretário: Cecília do Socorro Mendes Rodrigues; 1º Tesoureiro: Gilberto Danin; 2º Tesoureiro: José Pantoja de Menezes; Diretor de Biblioteca: Océlio de Jesus Carneiro Moraes; Diretor de Patrimônio: José Wilson Malheiros da Fonseca; Diretor de Comunicações: Manoel Bulcão; Diretor de Relações Públicas: Bernardino Santos e Diretor Jurídico: Odacyl de Souza Catette,
Comissões:
Ética : Eladio Lobato, Joaquim Antunes, Manoel Azevedo e Benedito Celso de Pádua Costa
Revista: Aldemyr Feio, Ermino Moraes Pereira
e Walter Guimarães Rolim
Julgadora: Alfredo Pinto Coimbra. Linomar Saraiva Bahia, Walbert da Silva Monteiro e Walcyr da Sila Moneiro

Valeu o esforço
de Donato Cardoso

No dia 26 de outubro passado ,Academia Paraense de Jornalismo/APJ completou 15 anos. Fruto da inspiração do jornalista Donato Cardoso Souza, o primeiro silogeu da categoria no pais, nesses três lustros tem conseguido levar adiante uma de suas tarefas mais importantes; ou seja, promover, conceituar, valorizar e elevar cada vez mais alto o jornalismo paraoara, bem como as figuras que o fazem.A APJ começou com vários encontros no terraço da residência de Donato – Travessa Mauriti, entre as avenidas Pedro Miranda e Marquês de Herval, sob a luz da lua e das estrelas.A turma se reunia uma ou duas sextas-feiras por mês para discutir os rumos da APJ, regada a um bom uísque (legítimo, selado) e doses gratificantes e benfazejas de tira-gostos variados. O encontro começava, invariavelmente, as pito oito e meia e, por vezes, se prolongava até quase meia noite. Ou mais.
No “famoso” terraço do Donato foram escolhidos os 40 acadêmicos fundadores. efetivos e vitalícios - numa seleção um tanto quanto rigorosa, onde se mesclavam profissionais da nova e da velha guarda.Lá foram aprovados – em mais de seis reuniões - os estatutos da Academia Paraense de Jornalismo, contando com a experiência do jornalista Alfredo Pinto Coimbra e de jornalistas – também advogados – previamente escolhidos.Nesses quatorze anos a APJ foi dirigida por Donato Cardoso – três gestões -, Abias Almeida – que não mais se encontra entre nós -, José Valente (também falecido), Linomar Bahia e Walbert da Silva Monteiro, presidente que completa o seu mandato..A Academia Paraense de Jornalismo recentemente sofreu duas baixas lamentáveis: do veterano historiador, escritor e jornalista José Valente – de Barcarena -, também membro-fundador do Centro Paraense de Estudos do Folclore; e do jornalista, advogado, escritor, historiador – com vários prêmios estaduais e nacionais -, romancista e também imortal à Academia Paraense de Letras e filho de Alenquer, Benedicto Wilfredo Monteiro.
Em 15 anos de profícua existência, a APL perdeu além dos dois acadêmicos citados, mais Abias Almeida, Carlos Rocque e Edyr de Paiva Proença, que fazia a alegria das “tertúlias” (papos molhados) no terraço do Donato, com as suas estórias apetitosas.
No início de outubro foi a vez do bragantino José Ubiratan Silva do Rosário nos deixar para sempre.

APJ e os seus membros

A Academia Paraense de Jornalismo foi fundada em 26 de outubro de 1994, tendo como objetivo básico a valorização cultura l da atividade jornalística, estimulando-a à dimensão intelectual.
Compõem a Academia Paraense de Jornalismo profissionais que desempenham ou hajam desempenhado atividades jornalísticas, e autores de trabalho publicados regularmente na imprensa. É constituída por 40 cadeiras perpétuas, sendo seus atuais ocupantes e respectivos patronos

:
Cadeira Nº Acadêmico Patrono

O1 Eládio Lobato ●●● Bruno de Menezes
02 José Wilson Malheiros da Fonseca ●●● Porfírio da Rocha
03 Francisco das Chagas Sidou ●●● José Tolentino Martins
04 José Valente (falecido) ●●● Cônego Batista Campos
05 Wilson Pinheiro da Motta ●●● Roberto Jares Martins
06 Álvaro Dias Martins ●●● Eládio Malato
07 Acyr Paiva de Castro ●●● Cléo Bernardo Macambira Braga
08 Holderman da Silva Rodrigues ●●● Antônio Tavernard
09 Joaquim Antunes ●●● Carlos Mendonça
10 Ermino Moraes Pereira D. Alberto Gaudêncio Ramos
11 Álvaro Jorge dos Santos ●●● Antônio Adolfo Oliveira Filho
12 Rubens Souza da Silva ●●● Alfredo Sade
13 Manoel Bulcão ●●● Helena Cardoso
14 Walter Guimarães Rolim ●●● Carlos Gomes Lopes
15 Salomão Laredo ●●● José de Campos Ribeiro
16 José Pantoja de Menezes ●●● Felipe Patroni
17 José de Ribamar Lima da Fonseca ●●● Milton de Abrunhosa Trindade
18 Alfredo Pinto Coimbra ●●● Dantas Tourinho
19 Donato Cardoso de Souza ●●● Eliston Altemann
20 Célio Simões ●●● Laurestino Soares
21 Leonam Gondin da Cruz ●●● Santana Marques
22 Orlando Zoghby ●●● Antônio Lemos
23 Linomar Saraiva Bahia ●●● Romulo Maiorana
24 Antônio José Teixeira Soares ●●● Humberto de Campos
25 Walbert da Silva Monteiro ●●● Hermógenes Barra
26 Gilberto Danin ●●● Mário Couto
27 Sillas Ribeiro de Assis (falecido) ●●● Nilo Franco
28 Abias Caldas de Almeida (falecido) ●●● Aldo Bernal de Almeida
29 Océlio de Jesus Carneiro Moraes ●●● Ruy Paranatinga Barata
30 José Ubiratan Rosário (falecido) ●●● Lobão da Silveira
31 Odacyl de Souza Catette ●●● Guilherme Ledo dos Santos
32 Carlos Alberto de Aragão Vinagre (falecido) ●●● Brito Pinto
33 Lucy Gorayeb Mourão ●●● Dejard de Mendonça
34 Aldemyr Sena e Feio ●●● Thomaz Nunes
35 João Augusto de Oliveira ●●● Frederico Barata
36 Benedito Celso de Pádua Costa ●●● Edgar Proença
37 Walcyr da Silva Monteiro ●●● Antero Soeiro
38 Bernardino Santos ●●● José Santos
39 Cecília do Socorro Mendes Rodrigues Clodomir Grande Colino
40 Cláudio Maria Pinheiro Guimarães Mário da Rocha

Os demais membros

A Academia Paraense de Jornalismo congrega, ainda, vários membros que compõem as categorias de honorários, beneméritos e eméritos, alguns dos quais já falecidos.
São os seguintes: Adenirson Lage, Carlos Vinhas, Arthênio Scardino Guimarães, Caetana Ferreira da Silva, Carlos Zoghby, Clóvis Meira, Edyr Gillet Brasil, Édson Salame, Emílio Francês, Gêngis Freire de Souza, Guilherme José Maués Barra, Hélio Mota Gueiros, Isaac Soares, Horácio Lima de Siqueira, Izabel Benone, José Carlos Couto, Jorge Arbage, José Mourão Neto, Kédma Farias, Laércio Barbalho, Laila Aparecida Abud de Almeida, Miranda Neto, Luiz Faria, Octávio Avertano Rocha, Manoel Azevedo, Manoel Oliveira, Maria Graziela Brígido dos Santos Meirevaldo Jonair de Paiva, Monsenhor Nelson Brandão Soares, Nazareno Mendonça, Nilton Guedes Pereira, Paulo Eduardo Almeida de Souza, Paulo Roberto Souza de Souza, Pedro Tupinambá , Raquel Peluzo , Raymundo Mário Sobral, Ronaldo Maiorana, Sandro Valle e Sérgio Alberto Frazão do Couto.

●●●●●●
A Mesa Diretora - que assume conta com os demais confrades perpétuos, honorários, beneméritos e eméritos, irmanados no mesmo propósito de ver uma Academia forte e respeitada, prestando a todos os segmentos da sociedade – saberá, certamente, dirigir os destinos da entidade.
Para nós, o crescimento da Academia Paraense de Jornalismo depende do esforço conjunto, com entrosamento e amizade permanente de todos os formadores da opinião pública.
Principalmente num momento crítico em que atraessamos onde os poderosos querem acabar com a profissão e com os cursos superiores que moldam os Jornalistas.

Nenhum comentário: