10/08/2016

CRÔNICA DE SAMPA




GRÊMIO JUVENIL DE SÃO JUDAS



N
o ano de 1970 fui morar no Jardim Jabaquara, na Rua Virgílio de Lemos, coincidentemente nesta rua moravam dois irmãos italianos sendo que a Palma tinha estudado comigo em 1962, e o Quintino em 1964. A Palma já fazia parte de uma turma de jovens na Igreja de São Judas Tadeu aqui em Sampa.
No ano de 1971 fui apresentado à Fátima que também frequentava a mesma turma, quando começamos um namoro, casamos e este ano fizemos Bodas de Rubi, só 40 anos.
Apesar de ter sido batizado e feito a Primeira c
Comunhão nessa igreja, estava meio afastado do catolicismo; mas graças à minha namorada passei a frequentar essa turma também. 
Frequentávamos a Missa das onze no domingo, considerado a dos jovens, onde a Fátima e a Palma cantavam no altar e eram acompanhadas por todos os presentes. À tarde tinha a reunião dos jovens em um salão anexo à igreja. 
Essa turma rezava, participava de encontros religiosos, festas beneficientes, mas também promovia bailes, gincanas, excursões, divertimentos; mas o principal foram as amizades feitas... muitas delas presentes até os dias de hoje. 
O responsável pelo grêmio era um padre jovem, que sempre fazia um belo sermão, diferente de todos os que já tinha ouvido até então. Falava a nossa linguagem, não era muito conhecido , estava despontando como escritor de livros, e compunha e cantava belos cânticos religiosos. Surgia então para o Brasil e para o mundo o padre José Fernandes, mais conhecido como o Padre Zezinho.
O importante é que os filhos dos gremistas, são hoje amigos dos nossos filhos e, quem sabe, os nossos netos vão dar continuidade à essas amizades que já passam dos 45 anos.

Paz, amor, saúde e vida longa com qualidade para todos.

Ah, sim: daqui há 15 dias eu volto se o Google e a NET permitirem.


PS: Essa foto de alguns integrantes do Grêmio de São Judas, foi tirada em Taubaté, nas comemorações dos 25 anos de sacerdócio do Padre Zezinho, neste mês de setembro ele fez 50 anos.
Parabéns ao nosso querido padre!



 ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Ricardo Uchôa Rodrigues
            


Nenhum comentário: