10/14/2017

CRÔNICA DE SAMPA



PROGRAMA DE RÁDIO

 

O

 meu amigo de infância há quase 60 anos, Gilberto Giba da Silva,  foi convidado para participar do programa "A Hora da Cidadania" na Rádio Trianon - AM 740, aqui de Sampa.

 O convite partiu do apresentador do programa Ed Valadão, que leu um belo texto que o Giba postou na página da Confraria dos Boleiros no Facebook, denominado " A BOLA. DEMOCRÁTICA E FATOR DE INCLUSÃO SOCIAL"

O apresentador pediu para o Giba levar pelo menos mais dois convidados para falar sobre Futebol de Várzea e da nossa Confraria. Ele escolheu a minha pessoa e do nosso outro amigo de infância Jorginho Melo para participarmos do programa.

Eu já tinha participado de um programa de televisão quando criança, dei recentemente uma entrevista para uma rádio da internet, mas por telefone. Agora entrar em um estúdio de rádio e falar ao vivo para milhares de ouvintes, foi a minha primeira vez!

Pensa em velho emocionado e feliz por essa oportunidade!

O papo foi descontraído, falamos sobre a nossa paixão desde garotinho e, modéstia parte, acho que demos conta do recado. 

Vou tomar a liberdade e publicar abaixo o texto do amigo Giba; e se algum leitor deste espaço, quiser dar alguma opinião, por favor sinta-se à vontade. 

 Abraços a todos e que a padroeira do Brasil Nossa Senhora Aparecida nos protege e nos guarde.

Amem.

 A BOLA. DEMOCRATICA E FATOR DE INCLUSÃO SOCIAL!!!

É bola na mão, é mão na bola, é bola no chão, é bola ao ar, é bola na trave, é bola na rede,é bola pra fora, é bola pro mato, que o jogo é de campeonato...

ELA provoca muita polêmica e emoção, e às vezes a perda da razão; entretanto nesse momento turbulência mundial, quero apresenta-la por um prisma mais de afirmação e inclusão social :

Na minha infância, com a construção do Aeroporto de Congonhas, o bairro do Planalto Paulista, teve um crescimento rápido e fantástico. 

Acho que os primeiros moradores foram Os Melos, os Salgueiros, Os Resendes. Os Carreiras, isso antes do projeto do aeroporto!!!

A minha família chegou no final de 1946. oriunda da Vila Nova Conceição.

Para a construção do aeroporto vieram muitos nordestinos, principalmente de Pernambuco e Bahia que se estabeleceram às margens do Córrego da Traição.

Com a construção do Aeroporto, o Planalto Paulista foi se valorizando e passando por uma forte especulação imobiliária, misturando-se as classes A,B e C.

Aí é que entra ela.

A BOLA era o único brinquedo democrático e socializante. Quando um garoto ganhava no NATAL ou ANIVERSÁRIO uma bicicleta, era só dele; um carrinho, era só dele; uma mesa de tênis, era dele dos irmãos, primos, ou amigos mais próximos. Agora quando ganhava uma BOLA...Era aquela alegria!!!

Atrás da GORDUCHINHA corriam muitos: Pobres, ricos e paupérrimos, negros, brancos e amarelos. 

Todos se uniam para construção do terreno onde ELA iria rolar. 

Eram enxadas plainando o chão, arrancando tocos, escavadeiras abrindo buracos e fincando as traves com forquilha para segurar o travessão com arames, que às vezes quando aparecia um jogador que batia forte derrubava o travessão na cabeça do goleiro.

Eu me lembro de uma família milionária, família Willo, que acabou dando o nome a rua onde eu morava, Alberto Willo. O filho mais novo o Ivo (goleiro) também participava. Pegava " emprestada" as ferramentas do seu jardineiro, juntava com as ferramentas do Seu Jessol, meu pai, do Nenê, do Zézinho e da Marli. .

O Ivo também participava da labuta, numa verdadeira, repito inclusão social!!!! 

Até nos dias de hoje ELA tem essa função promover a convivência entre os diferentes. Insisto na afirmação, por achar importante porque só ELA consegue colocar no mesmo time, ou em times adversários, sem subserviência: Negros, brancos e amarelos; católicos, evangélicos e espiritualistas; craques e esforçados; até policiais e meliantes, provocando uma verdadeira terapia em grupo !!!

SALVE ELA, A BOLA!!!


 Eu, sendo  entrevistado
 
 

O Giba, o resto da thurma, além do Walmir - de paletó - que foí convidado pelo apresentador do programa
 
 
Giba dando o seu recado
 

♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦
 
Ricardo Uchôa Rodrigues     
 
 

Um comentário:

Turcão disse...

Foi muito bom participar desse programa. Onde falamos muito da várzea, tão esquecida pelos políticos no início de mandatos e muito lembradas em épocas de eleição, onde aparecem , doação de camisas, ajuda a times. Depois esquecem e aprovam projetos onde acabam com os minguados campos de várzea, tipo PARQUE DO POVO e CAMPO DE MARTE.
SALVE CONFRARIA DOS BOLEIROS.