12/05/2016

CRÔNICA DE SAMPA




SEM PRECONCEITOS

No inicio dos anos 60 existia o Torneio Rio São Paulo. jogos entre os times de futebol do Rio e Sampa, gerando uma rivalidade muito grande entre estes dois estados. 
Ainda relacionado ao futebol Brasil e Argentina viviam e ainda nos dias de hoje há certa rivalidade entre estes dois países latinos.  
Quando entrei na faculdade, no início dos anos 70, fui estudar na FEI, em São Bernardo do campo, no curso de engenharia. Havia opção entre você estudar na Mauá, Poli ou Fei. A primeira opção era a Poli, faculdade pública, a briga era quem era a segunda e principalmente pelos jogos da MAPOFEI, aí surgiu uma rivalidade muito grande, das faculdades vizinha no ABC, Mauá e Fei.
Hoje analisando os meus amigos de verdade, conclui que, por ironia do destino, com o passar dos anos tive dois grandes amigos, que infelizmente vieram a falecer o Carlos carioca, morou no nosso prédio, tivemos uma boa amizade e mesmo quando mudou, continuamos bons amigos, e da família inclusive somos até hoje, infelizmente ele foi embora fora do combinado . 
No meu trabalho atual, conheci um argentino de Mendonza, o Sr. Jorge, o qual houve uma grande empatia, a gente foi amigo de verdade até ele vir a falecer a uns quatro
anos atrás.
Há uns doze anos atrás, fiz amizade com o Radovan, cujo o filho casou com a irmã da minha ex-nora, também houve e há uma empatia muito grande, e ele é um grande amigo, e adivinha onde ele é formado, na Mauá. Ninguém é perfeito Hahahahaha.
Concluindo amizade não tem raça, cor, credo, nacionalidade, tenho um grande amigo a quase 60 anos que é negro, o Giba, gente finíssima, estamos sempre juntos na Confraria dos Boleiros. 
Na época da faculdade um dos meus melhores amigos era descendente de japoneses, o Tanaka, a gente sempre se encontrava fora da faculdade para estudar, fui no seu casamento, a maioria dos convidados eram nipônicos.
Estamos aqui nesta terra de passagem, o importante é ser feliz e ter amigos de verdade.

Um abraço ao pessoal de Belém – terra do meu irmão Aldemyr, coriinthano doente -  e as minhas homenagens  à família do jogador  Lucas Gomes. bragantino de origem,  e uma das vítimas fatais do acidente da Colômbia.
Daqui a alguns dias eu voltol, by.

    Eu e a minha mini tchurma


   
    Rodovan


   Eu os meus craques... veteranos

♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦ ♦

Ricardo Uchôa Rodrigues
           

Um comentário:

Ricardo Uchoa disse...

Só pra elucidar, na primeira foto de chapéu o meu amigo mauaense Radovan, na segunda ouvindo a filha cantar meu saudoso amigo carioca o Carlão e na terceira foto ao meu lado o meu amigo mais antigo Gilberto, ou Giba para os mais chegados.