3/27/2007

Vicente Cecim lança “Ó Serdespanto” na Sexta-feira/30



O escritor, jornalista e publicitário Vicente Cecim estará lançando nesta sexta-feira/20, na Livraria Jinkings (Rua dos Tamoios, a poucos metros da Praça Batista Campos) mais uma obra: Ó Serdespanto.
Mistura de prosa e poesia, ficção e ensaio, Ó Serdespanto, de Vicente Cecim, é um dos volumes visíveis do que o autor denomina Viagem a Andara - O livro invisível.
Comparada a criações de Heráclito, Nietzsche, Michaux, Silesius, Novalis e Guimarães Rosa, a obra de Cecim tem melodia única. "Mesmo a Escritura, rompendo limites na Literatura, ainda contém a insuficiência respiratória do Verbo", diz. "Busco escapar pelo retorno às Imagens, à matriz das Palavras. Tento, agora, a Iconescritura." A Viagem a Andara, onde inexiste a oposição entre o natural e o sobrenatural, não tem fim e pode ser iniciada em qualquer de seus momentos (trechos/percursos).
Mas o que é Andara? É, sim, uma transfiguração, em região-metáfora da vida, da Amazônia, onde Vicente Cecim nasceu e vive até hoje, mas não deixa de ser também o próprio autor, o leitor, o universo.
Uma das definições aparece numa entrevista de Cecim à revista Azougue: "Andara é Coisa que viaja por dentro e no sentido inverso: quer retornar dos dedos dos pés ao calcanhar de Aquiles do homem, ali onde ele é mais sensível à Hipótese Onírica e Lúdica e Naturalmente Sagrada da vida. Andara quer a Origem, o Antes do ponto em que tudo começou a se perder do Todo, o ponto oculto de nós, homens, que só se consente a nós em Relances, Vislumbres."Como afirma o poeta Fabrício Carpinejar, "a Bíblia não terminou de ser escrita. Ó Serdespanto é um papiro encontrado na Amazônia, sujo de vento, sujo de verdade, aos 40° de Belém do Pará. Versículos, fábulas, parábolas." A jornada ao mundo de Andara, onde sentidos, sentimentos e pensamentos se combinam e tomam vida, é um passeio inesquecível e indescritível.

Nenhum comentário: