12/12/2012


AUGUSTO REZENDE. Mais um justo que se foi!...

Os mais antigos dizem que Deus escreve certo por linhas tortas e, às vezes, toma medidas que nós, pobres mortais, não conseguimos entender. É o caso do meu amigo Manoel Augusto Costa Rezende, ou Augusto Rezende que retornou ao Reino dos Justos na madrugada de sábado/8, vítima de complicações pós-operatórias cardiológicas.

Não conhecia o Augusto Rezende. Fui conhece-lo muito rapidamente na campanha de Sahid Xerfan (PTB) à Prefeitura de Belém, que foi eleito por uma grande margem de votos, sobrepondo o seu opositor Fernando Velasco -PMDB.

Conheci melhor Augusto Rezende quando substituiu Sahid Xerfan, que renunciou o cargo para concorrer ao Governo do Estado. Foram quase quatro anos de boa convivência (1989/1993), onde não existia o chefe e o empregado; mas sim o colaborador da Prefeitura de Belém, à serviço da comunidade.
Rezende chegava cedo à sede do Gabinete do Prefeito – que funcionava no belo sobrado da avenida Nazaré, em frente à TV Liberal, onde hoje funciona a Secretaria Municipal de Adimnistração/ SEMAB – em traje simples, passava logo de saída na copa “dar bom dia às amigas” e tomar indefectível cafezinho.
Era a hora que podíamos levar um papo rápido com o prefeito que sempre dizia solicito: daqui a pouco eu te chamo. E chamava mesmo. Qualquer que fosse o assunto, ele sempre dava uma solução. Só não solucionava os temas mais complicados. Mas não ficava só nisso - encaminhava para alguém ou secretaria que cuidasse do assunto, Com uma recomendação: qual quer seja o resultado, quero uma resposta rápida.
O economista José do Egyto Soares , assessor econômico da Federação das Indústrias do Pará/ FIEPA. que à época era Secretário Municipal de Economia, disse certo: Rezende foi um dos prefeitos que mais se notabilizou pelos grandes feitos em favor de Belém e, quem sabe, o que mais valorizou o serviço municipal.
Além da Criação da Fumbel e da Guarda Municipal, (Lei Ordinária N.º 7346, de 14 de outubro de 1986), a adoção do Plano Diretor do Trânsito, um dos mais modernos e aperfeiçoados, e elaborado de acordo com a realidade de Belém – que, infelizmente foi desprezado pelos sucessores - ele promulgou o Estatuto do Servidor (LEI Nº 7.502, de 20 dezembro de 1990), em vigor, e implantou o Plano de Cargos e Salários (LEI nº 7.507, de 14 de janeiro de 1991, assinada por Augusto Rezende e pelos secretários: Marcos Evangelista Dias Klautau, Chefe de Gabinete do Prefeito; Cléa Corrêa Pinto de Oliveira, Secretária Municipal de Administração; Dário Alfredo Pinheiro, Secretário Municipal de Finanças; Eudiracy Alves da Silva, Secretário Municipal de Assuntos Jurídicos; Maria Lúcia Silva Verstappen; Secretária Municipal de Educação; José de Mendonça Lêdo, Secretário Municipal de Urbanismo; José Roberto Velho Cruz, Secretário Municipal de Saúde; Wady João Komci da Costa, Secretário Municipal de Saneamento; José do Egypto Vieira Soares Filho, Secretário Municipal de Economia; Débora Bemerguy, Coordenadora Geral e de Planejamento, ,em exercício, e Maurício Cordovil Pinto d’Orsi, Coordenador de Comunicação Social.
Esse diploma legal foi esquecido pelos sucessores de Augusto Rezende. O prefeito, que está saindo, nos seus dois mandatos, procrastinou o Plano de Cargos e Salários. Prometeu aos servidores que iria implantá-lo, mas ficou no discurso... sob a alegação de que a Prefeitura de Belém não disponha de recursos... por que não o incluiu no orçamento da PMB apresentado todo início de ano legislativo à Câmara Municipal, de Belém???
O ex-prefeito Augusto Rezende, ja fora do cargo, vinha sempre aqui e passando algumas horas deliciando-se com várias goladas de água de coco numa das barraquinhas na orla do Cruzeiro.
Amigo - Aqui em Icoaraci, construiu várias escolas e creches nas Águias Negras, Vila Sorriso I, II e Paracuri I e II, além das ocupações Central Park (Rodovia Augusto Montenegro, em frente à antiga fábrica da Pedro Carneiro), para ilustrar;
A minha Vila Sorriso, da mesma maneira, foi beneficiada por Rezende com a construção de uma das três oficinas profissionalizantes que foram implementadas em três meses. Ele restaurou o Mercado Municipal, construiu o Centro de Abastecimento da Rua 8 de maio (que foi invadido quase no final da sua gestão e hoje encontra-se em ruínas. Aliás, uma parte desabou...)
Rezende, da mesma maneira, ao encerrar a sua gestão construiu uma quadra polivalente de esportes, com todos os equipamentos, na Praça da Matriz o que, infelizmente, foi literalmente destruída pelo seu sucessor, Edmilson Rodrigues, sem dar satisfação a ninguém.

Monumento do Iº Centenário

Para concluir: Os senhores se lembram - pelo menios ol mais antigos... - do monumento do I Centenário de Icoaraci? Ele está na Praça Paes de Carvalho ao lado da Matriz de São João Batista plantado por sobre um pedestal corroído pelo tempo, sem manutenção e completamente esquecido de tudo e de todos.
O monumento da maior efeméride ocorrida em Icoaraci nesses últimos 43 anos foi criado e erigido para lembrar os 100 anos de existência de Icoaraci – a Vila Sorriso.

É. Mais ele tem uma historia.

Em outubro de 1968, o então prefeito de Belém, o medico Stélio de Mendonça Maroja (já falecido) criou a Comissão Coordenadora do Iº Centenário de Icoaraci. Essa comissão que foi empossada no dia 20 de outubro era constituída de nomes representativos da comunidade local. Sua função era, juntamente com o agente distrital, engenheiro Evandro Simões Bonna - presidente - de organizar um ano de comemorações dos 100 anos de Icoaraci.
Realmente, naquele ano (1969) todos os meses havia algum evento. Em janeiro deu-se o lançamento do I Centenário de Icoaraci. Em fevereiro o Carnaval (ainda na Rua Dr. Manoel Barata, em frente a agencia distrital) foi o mais deslumbrante de todos os tempos. Além das agremiações locais, contou com a presença da Escola de Samba Quem São Eles e do Rancho Não Posso Me Amofina; em marco foi lançado o compacto simples como o Hino do I Centenário, gravado por Luiz Olavo (falecido) e produzido por Pires Cavalcante; em abril foi inaugurado o serviço o serviço de travessia de balsa para o Outeiro, a partir da 2 de dezembro (7ª Rua); em maio deu-se o Baile das Debutantes do I Centenário na sede social do Pinheirense Sport Clube; em junho a quadra junina atingiu toda Icoaraci e Outeiro e revelou o Boi Bumba Pingo de Ouro e o Grupo Leão Dourado, do Km. 23, da rodovia Augusto Montenegro; em julho ocorreu a Operação Especial Icoaraci-Outeiro do Projeto Rondon, que praticamente redescobriu as ilhas de Caratateua e Cotijuba; ainda em agosto foi lançado entre as escolas icoaracienses o concurso de desenhos e motivos para o futuro monumento do centenário; em setembro, a parada escolar foi uma das maiores que se tem noticia na Vila Sorriso, com a participação de todos os estabelecimentos de ensino da Icoaraci e, mais, as bandas marciais dos Colégios Augusto Meira, Paes de Carvalho e Magalhães Barata; em Outubro, no dia 8, ocorreu o grande Baile do I Centenário de Icoaraci, no Salão Paroquial Padre Theodoro Kokke – gentilmente cedido pelo monsenhor José Maria Azevedo – com o Conjunto de Guilherme Coutinho, também falecido - e um dos mais importantes da época, ao lado Sayonara – tendo como atração a cantora Joelma - sucesso da época - que arrasou, além da apresentação da Rainha do Iº Centenário, a senhorita Antinéia Kátia dos Reis Puga.
Na manhã ensolarada daquele mesmo dia 8, às 10 horas o prefeito Stélio Maroja, o agente Evandro Bonna e os componentes da Comissão Executiva inauguraram o monumento do Iº Centenário de Icoaraci no inicio da Praça Paes de Carvalho, ao lado da Igreja de São João Batista.
Concebido e desenvolvido pelo próprio Evandro Bonna – que também foi o autor do projeto do prédio da agencia distrital inaugurado dois anos depois - era um obelisco de 30 metros de altura em forma ogival recortado - como se fora duas mãos postas em direção ao céu, numa atitude de oração. No alto havia a marca do evento em concreto reforçado: duas rodas dentadas acopladas e cortadas por uma tinha horizontal. No centro da primeira havia uma linha vertical simbolizando o numero 1 – do primeiro centenário – estilizado, e duas rodas perfazendo o número 100. O desenho – aprovado pela comissão, após concurso realizado nas escolas icoaracienses – foi de autoria de um estudante do 3º ano ginasial do Colégio Estadual Avertano Rocha.
No rodapé do monumento havia a seguinte inscrição em bronze: "Aos que nos antecederam agrademos o trabalho; a posteridade, com orgulho entregamos os alicerces da grande Icoaraci do futuro”. Frase de autoria de Evandro Bonna, falecido em setembro do ano passado/2011 – sem duvida, o maior ”subprefeito” que Icoaraci já teve.
Os festejos do centenário prolongaram-se. O Círio de Nossa Senhora das Graças de 1969 teve a presença do prefeito Stélio Maroja que o acompanhou em toda sua totalidade, do arcebispo D. Alberto Ramos e do governador Fernando Jose de Leão Guilhon (falecido) que recebeu a imagem da santa no final do préstito junto com monsenhor Azevedo.
Em no dia 28 de dezembro, o prefeito Stélio Maroja condecorou os membros da Comissão Coordenadora do Iº Centenário com a Medalha dos 350 anos de Belém. Os festejos do Iº Centenário foram encerrados com uma grande festa popular na Praça da Matriz.
O monumento, que falamos linhas acima, ficou por muito tempo no local. Na gestão do nosso já saudoso Augusto Rezende, mudou de posição.

Dentro do projeto de reurbanização da Praça da Matriz e ajardinamento da Praça Paes de Carvalho – estabelecido em conjunto com o agente Armando Tavares -, o prefeito achou por bem modificá-lo, fazê-lo um pouco menor e coloca-lo no meio do logradouro obedecendo todas as características originais.
É verdade. Durante a administração Augusto Rezende o marco do centenário foi muito bem cuidado. Quase toda semana era limpo pelos trabalhadores da Agência Distrital supervisionados, pessoalmente, por Armando Tavares.
Com o advento da administração Edmilson Rodrigues o monumento-orgulho de Icoaraci foi esquecido, abandonado, entregue à própria sorte. Atualmente está caindo os pedaços e ninguém se lembra que ele existe.
Até mesmo a placa de bronze, sumiu. Não está no Departamento de Operações da Agência Distrital, que fica a poucos metros do local... vai ver que foi fundida.
Daqui, o apelo de um icoaraciense que ama a sua terra:
Meu caro Zenaldo Coutinho, você que - mercê de Deus – estará assumindo as rédeas da Prefeitura de Belém no próximo dia 1º de Janeiro, atente para esse fato. No passado dia 8 de outubro – ou seja, há dois meses passados - Icoaraci completou 143 anos.
A data passou em branco.
Que tal resgatar o marco que faz parte da história da Vila Sorriso, com as mesmas características de antanho?
Faça isso e tenha Augusto Rezende como modelo.
Em todos os sentidos.
Ele que com todas as suas forças fez o bonito por Belém... em tão pouco tempo!
Faça o mesmo.
Aliás, gente como Augusto Rezende, está fazendo – e fará - falta em Belém.
Ele é um dos poucos homens que passou pela vida “combateu a boa luta e guardou a fé”, como disse o apostolo Paulo, e merece o seu, o meu, o nosso respeito... mesmo que agora se tenha transformado em saudade.

Paz à sua alma.

Nenhum comentário: