12/03/2012



Icoaraci comemora anúncio da ampliação do Hospital Abelardo Santos

A reforma e ampliação do Hospital Abelardo Santos, em Icoaraci, anunciadas pelo governador Simão Jatene na segunda-feira/26, já está sendo ansiosamente aguardada pela população do distrito e áreas adjacentes. Hoje, a casa de saúde faz cerca de mil atendimentos diários, entre os setores de urgência e emergência adulta, pediátrica, obstétrica e ambulatórios especializados. Com a obra, a expectativa é que o número de atendimentos triplique.
“Certamente, o novo hospital será altamente positivo, não só para quem mora às proximidades de Icoaraci, mas para todo o povo paraense. As especialidades que serão agregadas, a exemplo da terapia renal substitutiva e as unidades de transplantes, serão fundamentais para a mudança de perfil da instituição, que estamos implantando desde que assumimos o hospital”, destaca a diretora geral do hospital, Vera Cecim.
Para ela, a população da região das ilhas de Belém, que historicamente sempre teve dificuldade em acessar os serviços de saúde do município, será uma das maiores beneficiadas com a obra, que inclui um aumento significativo no número de leitos ofertados (as vagas vão saltar das atuais 67 para 250). “Esse ganho será fundamental, principalmente na área da obstetrícia, que é uma das maiores demandas dessa parcela da população, especificamente”, destaca.
Além disso, segundo a diretora, o hospital agora também faz parte da Rede Cegonha, projeto que visa o atendimento integral de mães e bebês, desde o pré-natal até a criança completar 2 anos de idade. “Juntamente com a reforma do hospital, o projeto vai nos ajudar a melhorar não só a quantidade de pessoas atendidas como, principalmente, a qualidade dos serviços ofertados”, completa.
Funcionários – Com a reestruturação do “Abelardo Santos”, que começa a ser implementada no início do ano que vem, o número de servidores também precisará ser aumentado, calcula o diretor administrativo do hospital, Fábio Santiago. “Hoje, temos uma média de 600 servidores. Para atender a nova demanda, esse número precisará ser aumentado para, pelo menos, 2,8 mil funcionários. Para isso, o governo já está se preparando para fazer um concurso público”, informa.
Fábio também explicou que, enquanto a reforma estiver sendo feita, os servidores do hospital deverão ser realocados para outros hospitais da região, os quais passarão a oferecer os serviços hoje prestados no “Abelardo Santos”. “Transferiremos o pessoal para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do distrito, para a unidade de saúde da Segunda Rua e para o hospital São Lucas, entre outros. Tudo isso ainda está sendo devidamente planejado, mas os nossos servidores podem ficar tranquilos, pois, tão logo a obra termine, todos voltarão para cá”, esclarece.
Atendimento – A iniciativa está sendo comemorada por quem precisa dos serviços do hospital rotineiramente. É o caso do operador de máquinas Walner Gomes, 30 anos. Morador do bairro da Maracacuera, em Icoaraci, e pai de dois filhos pequenos, ele diz que sempre recorre ao hospital atrás de atendimento médico. “O hospital já melhorou muito nesses últimos dois anos. Não tenho do que reclamar, pelo contrário. Sempre que venho aqui, sou muito bem atendido. Se vai melhorar ainda mais, só podemos agradecer, pois, embora ninguém queira passar por um problema de saúde, é bom saber que podemos contar com um serviço de qualidade”, observa.
A mesma opinião tem o presidente da Associação Comercial e Industrial de Icoaraci (ACII), Luiz Otavio Monteiro. Para ele, o distrito já necessitava, há muito tempo, de um hospital desse porte. “Recebemos com muita satisfação o anúncio do governador, pois esse era um pleito antigo nosso. Icoaraci sempre sofreu com um déficit na saúde e, agora, com cerca de 350 mil habitantes, as dificuldades aumentaram muito. O olhar que o governo do Estado está tendo é fantástico, pois, hoje, o distrito é a principal área de expansão da Região Metropolitana de Belém”, avalia.
A reforma do Hospital Abelardo Santos começa em março do
 ano que vem e deve durar dois anos. O novo hospital terá dez andares, que abrigarão 280 leitos, dos quais 250 para alta e média complexidade e 30 para urgência e emergência. O hospital vai dispor ainda de unidade ambulatorial e outra para internação (clínicas médica, cirúrgica, pediátrica, obstétrica, traumatologia e psiquiatria), Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto e pediátrica, neonatologia completa, imagenologia (mamógrafo, RN, CT, raio X e USG), métodos gráficos, endoscopia digestiva, Terapia Renal Substitutiva, reabilitação, urgência adulto e pediátrica, unidade de emergência, laboratório de patologia clínica, Banco de Leite Humano e agência transfusional.

____________
Elck Oliveira
Agência Pará

Nenhum comentário: