11/30/2017

AVANÇO




'Ciência na Ilha' ajuda a formar professores da rede estadual


Nessa terça-feira/28, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), por meio da Unidade Seduc na Escola (USE) 12, começou a receber uma série de ações do Projeto Ciência na Ilha, iniciativa do Clube de Ciências da Universidade Federal do Pará (UFPA), que neste ano beneficia a população da Ilha de Cotijuba, pertencente a Belém. O objetivo do evento é popularizar a ciência entre os estudantes da educação básica, promovendo a aproximação da escola com a universidade e a formação de professores da rede pública, com oficinas executadas em parceria com o Centro de Formação de Profissionais da Educação Básica do Pará (Cefor), da Seduc.
O evento começou com as oficinas destinadas a professores, realizadas na Escola Estadual Avertano Rocha, em Icoaraci, distrito de Belém. Cerca de 90 professores da USE 12 devem participar das atividades, que prosseguem até quarta-feira (29). Na quinta (30) e na sexta-feira (1º), as ações serão realizadas em Cotijuba, com alunos e outros membros da comunidade da ilha.
“Muitas vezes, o aluno da educação básica não tem ideia do que pode existir em relação a ensino fora dos muros da escola, principalmente nessas regiões mais isoladas. Então, com o projeto a gente visa também mostrar para esse estudante que ele pode continuar a estudar depois da escola, ou seja, oferecer novas referências para esse jovem que, muitas vezes, vive numa vulnerabilidade social grande”, explicou o professor João Amaro, coordenador do Clube de Ciências da UFPA e um dos coordenadores do Projeto Ciência na Ilha.
Ensino atrativo - O professor de matemática Marcelo Santos, da Escola Estadual Jorge Lopes Raposo, também de Icoaraci, atua no ensino fundamental e médio e diz que a oficina da qual participa, específica para o ensino de matemática no ensino médio, vai agregar conhecimento ao trabalho desenvolvido em sala de aula. “Hoje não dá mais para o professor ficar só com o quadro como recurso, e esse tipo de oficina contribui muito para mudar nossa prática pedagógica, pois nos ajuda a olhar o conteúdo do ensino médio de maneira mais lúdica, tornando a aprendizagem algo mais atrativo para os estudantes”, frisou.
A professora de História Fernanda Jaime, da Escola Estadual Professora Marta da Conceição, em Cotijuba, também participa das oficinas e destaca a importância do Projeto Ciência na Ilha. “Esse projeto é fundamental porque, muitas vezes, as pessoas frequentam a Ilha de Cotijuba apenas em busca do lazer e acabam esquecendo de que se trata de uma área de proteção ambiental, embora ainda não legalizada. E como é uma ação que vai envolver também a comunidade, ajuda a conscientizar, a fazer a própria população cuidar da área, para que no futuro crimes ambientais que hoje estão acontecendo lá não voltem a se repetir. São projetos como esse que fazem a comunidade se sentir sujeito da história que pratica”, acrescenta.
A mesma opinião tem a gestora da USE 12, Aline Socorro, que destaca o caráter de interação da programação, que será encerrada com dois dias de atividades na Escola Marta da Conceição, em Cotijuba. “Essa prática é muito legal porque proporciona a interação entre a comunidade e a escola. A escola é, na verdade, o foco central, por isso, nos dois dias de atividades pedagógicas, ela vai estar aberta a todos e também vai receber os estudantes da UFPA, que farão atividades com o nosso alunado”, informa a gestora.
________________
Elck Oliveira
Agência Pará

Nenhum comentário: