5/17/2007


HANGAR

Ana Júlia Carepa inaugura obra dos tucanos como se fosse dela

Brasília – A governadora Ana Júlia Carepa (PT) inaugurou, nessa quinta-feira 17, o maior centro de convenções da Amazônia e um dos mais modernos do Brasil, o Hangar – Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, que insere o Pará no roteiro internacional dos grandes eventos. Mas, ao divulgar, pela Agência Pará, o evento, o governo petista omite duas informações: o Hangar foi construído pelo governo anterior, tucano, que o entregou praticamente pronto para a inauguração. Ana Júlia Carepa omitiu isso inclusive na placa inaugural. A outra omissão é a do nome do arquiteto da obra, Paulo Chaves. Seu nome é suprimido porque Paulo Chaves é um gênio e os petistas jamais admitirão isso.
Paulo chaves é autor também do deslumbrante Mangal das Garças e da Estação das Docas. É criticado por esta última, um sofisticado complexo turístico, porque deficitária. Mas Paulo Chaves é arquiteto, não é administrador de empresa. É criticado também pelo Hangar porque custou R$ 100 milhões. Mas o mecenas foi o ex-governador Simão Jatene (PSDB). Afinal, o Hangar é um extraordinário investimento.
“Só agora o Hangar será inaugurado, depois de mais de quatro meses para concluir uma obra que estava praticamente concluída” – comentou, quarta-feira/16, o deputado Nilson Pinto (PSDB/PA), uma das vozes tucanas locais mais respeitadas. “O governo Ana Júlia Carepa precisa começar; ela precisa terminar a campanha eleitoral, que aparentemente não terminou ainda; está se pronunciando a cada momento como se estivesse em um palanque eleitoral. Ela precisa governar. Até agora, não conseguiu sequer inaugurar aquilo que o governador Simão Jatene deixou praticamente pronto; nem os hospitais regionais, que receberam um enorme investimento no governo passado, todos prontos para o início de suas atividades, nenhum teve suas atividades iniciadas” – criticou.
“É um governo muito lento. Eu compreendo que essa lentidão é conseqüência da inexperiência da governadora - que não tem experiência administrativa e está, agora, ganhando experiência no cargo - e da inexperiência da sua equipe, que também é jovem e está aprendendo os caminhos da administração pública estadual, mas, de qualquer forma, não dá para esperar mais muito tempo, a população precisa ver o governo atuando. Enquanto isso, os hospitais regionais estão parados e até a Santa Casa está sem medicamentos; as estradas estão esburacadas, em péssimas condições, e o governo só está conversando” – adverte Nilson Pinto.
Insulto à inteligência - Ana Júlia Carepa conduz seu governo com tanta incompetência que é um insulto à inteligência dos paraenses. A última dela é que, segundo o Repórter 70, a coluna nobre do jornal O Liberal, edição desta quarta-feira/16, “a governadora Ana Júlia está pagando ao Aero Clube do Pará, cujo presidente é o seu namorado Mário Fernando Teixeira Nery Costa, R$ 3,7 milhões para formar 14 pilotos de helicóptero do Estado, o que dá R$ 265 mil por piloto e numa escola sem helicóptero. Nessa área, as melhores escolas do país estão em São Paulo. Cada uma delas cobra R$ 75 mil por piloto. Muito mais barato e com muito mais experiência de quem ensina, obviamente”.
Após ser denunciada ao Ministério Público do Pará por nepotismo, Ana Júlia Carepa exonerou, agora em abril, seu namorado, então diretor do hangar do governo. Ela teve que exonerar também seu irmão, Luiz Roberto de Vasconcelos Carepa, a quem agasalhou como diretor de Saúde Pública. O promotor de Direitos Constitucionais e Patrimônio Público de Belém, Jorge de Mendonça Rocha, recomendou a demissão de servidores com vínculo de parentesco com Ana Júlia até o terceiro grau.
A governadora nomeara também seu irmão, José Otávio Carepa, subsecretário de Esportes; seu ex-marido, Marcílio Monteiro, chefe da Secretaria Extraordinária de Projetos Estratégicos (?); e indicou seu cunhado, Maurílio Monteiro, irmão de Marcílio, para a Secretaria de Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia.
Em fevereiro, Ana Júlia nomeou como assessoras especiais sua cabeleireira, Manuella Figueiredo Barbosa, e sua esteticista, Franciheli de Fátima Oliveira da Costa. Pressionada pela imprensa, alegou que foi um equívoco administrativo e as demitiu.
A penúltima de Ana Júlia: o governo do Pará gastará R$ 148,5 mil para reformar, sem licitação, uma casa alugada em condomínio de luxo de Belém para servir de moradia oficial da governadora, que já conta com casa oficial. A casa custará R$ 60 mil por ano.
A última: Ana Júlia Carepa cancelou, dia 23 de abril, a distribuição de 100 mil exemplares de uma revista comemorativa dos seus 113 dias de governo, ao custo de R$ 220 mil, por conter erros de informação, de comunicação, e de digitação, além de falhas gráficas. A revista, que foi para o lixo, é intitulada "113 Dias de Governo: A Passos Firmes Construindo o Pará de Todos" - 16 páginas em papel cuchê colorido, produzida para divulgar o que Ana Júlia já fez (?) e falar mal dos tucanos.
Segundo os blogs dos jornalistas Augusto Barata e Afonso Klautau, a revista foi editada pelo chefe da Coordenadoria de Comunicação Social de Ana Júlia, professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), Fábio Fonseca de Castro, que se defendeu afirmando que foram impressos 6.850 exemplares de uma versão preliminar da publicação e que o governo não pagou por isso, mas não disse que agência fez o serviço porco.


_____________________________
Cortesia do site ABC Político

Nenhum comentário: