1/21/2012

ANA VICTÓRIA PITTS está fazendo bonito na Itália



Lembram-se da Ana Victória? Ou melhor: Ana Victória Pitts Lobato Carneiro, de Icoaraci, Belém do Pará? Pois é. Estabelecida em Curitiba, e estudando por dois anos, Canto Lírico, na Universidade Estadual Belas Artes, ganhou uma bolsa para ir estudar no Conservatório de Ádria, na Itália,
Quem lhe conseguiu foi sua professora de canto Italiana Luíza Gianini, como forma de retribuição pelo interesse e aproveitamento da aluna.
Enquanto seus pais envidavam todos os esforços para obter os meios legais e recurso financeiro para viajar para o norte da Itália – onde se situa Ádria, sua mãe Clementina Lobato Carneiro, lendo uma das edições dominicais da Voz de Nazaré – veículo de informação da Arquidiocese de Belém - tomou conhecimento de um importante concurso Internacional de Música Sacra Internacional promovido pela Mitra de Roma,
Rapidamente Ana Victória se inscreveu para no aludido concurso que foi realizado na Igreja de Santa Catarina de Sena, em Roma.
Participaram do certame 80 candidatos de todo o mundo. Na primeira seleção nossa menina ficou entre os 25 escolhidos. Na semifinal figurou entre os 13 selecionados.
A final foi deslumbrante; tendo como palco o majestoso átrio da Basílica dos 12 Apóstolos.
Ana Victória não ganhou o primeiro lugar, mas ficou entre os seis finalistas. Em compensação foi escolhida “Cantora Jovem Revelação” e recebeu como prêmio uma ajuda de custo em euros, diploma, troféu, deu entrevistas – ela já falando mais ou menos o italiano – e participou, com as demais finalistas, de um programa na RAI – Radio Audiovisione Italiana, que é a TV internacional Romana.
Além disso, vai gravar um CD que será distribuído em todo o mundo.


Detalhe: Ana Victória , no esplendor dos seus 20 anos, foi a candidata mais jovem e a única brasileira a participar desse Concurso Internacional de Música Sacra.


É só o começo da luta de Ana Victória para a concretização do sonho de ser uma meso-soprano, já que é uma das seis cantoras líricas mais importantes e de fama internacional.


Como podem observar, a Terra de Antônio Tavernard não é fácil... e continua exportando valores para o mundo.


Não é mesmo Nazaré Pereira?

Nenhum comentário: