4/07/2012

LUIZ SOLANO – Repórter do Planalto





DITADURA DISFARÇADA

A nomeação da senadora Marta Suplicy, para embaixada do Brasil em Washington, é uma mostra  clara, que hoje vivemos uma ditadura disfaçada, onde a presidente Dilma, comanda o Páis com mão de ferro desprezando valores, como agora, o caso da nomeação da senadora paulista, para a nossa representação diplomática na terra do Tio Sam.
O posto deve ser entregue a diplomata de carreira como acontece no mundo inteiro, entretanto, a presidente Dilma, passa por cima de todos os valores possíveis, como se fosse a dona do Brasil, talvez se espelhando em Fidel Castro, que manda e desmanda em Cuba e só faz o que realmente lhe interessa.
A nomeação de Marta Suplicy, como Embaixadora, trouxe uma inquietação no Ministério das Relações Exteriores, revoltando os diplomatas de carreira, com muitos deles falando até cinco idiomas, sem comentar aqui, que fazem concurso público para entrar na Casa de Rio Branco e só são nomeados depois de dois anos de intenso conhecimento sobre diplomacia.
Se quisesse realmente agradar Marta Suplicy, dando a ela um posto de Embaixadora do nosso País, que a mandasse para  a África, em uma região pobre, com guerra civil todos os dias, mpois quem sabe seria mais útil na sua missão.
Como os nossos diplomatas são pessoas finas, educadas, não acredito que haja uma rebelião, para contestar essa atitude irresponsável e insana da presidente Dilma. Enquanto isso, o Clube da Luluzinha continua aumentando.
Segundo o jornalista Cláudio Humberto, um embaixador brasileiro na América Latina, comentou irritado, que a atitude do chanceler Antonio Patriota é “acovardada”: “Num paralelo com o meio militar, tal decisão equivaleria a nomear um civil para o comando do Primeiro Exército, tamanha a desmoralização para a casa (a Chancelaria)”.
O precedente preocupa diplomatas mais experientes. “Se uma embaixada como a de Washington pode ser chefiada por alguém fora da carreira, qualquer outra poderia. Está aberta – aliás, escancarada – a porteira. Vai ser uma festa” - comentou um integrante da cúpula do Ministério das Relações Exteriores, em Brasília.
Ainda Cláudio Humberto: “De uma maneira geral, os diplomatas estão entre incrédulos, esperando que a presidenta Dilma pense melhor no assunto, e aqueles que acham que o chanceler Antonio Patriota não tem alternativa senão encaminhar seu pedido de exoneração junto com a indicação de Marta Suplicy. E até ironizam, afirmando que, nas atuais circunstâncias talvez fosse até melhor que a senadora substituísse o próprio ministro Patriota – que, ao contrário do antecessor, “não luta, nem resiste”. Cláudio Humberto comentou que Marta Suplicy está entusiasmadíssima com a boca e já se mandou para a capital americana, se comportando como dona do pedaço.
Aliás, Dilma poderá comunicar informalmente a Barack Obama e a Hillary Clinton, na visita que fará nos dias 9 e 10, a escolha de Marta como futura embaixadora, e com Marta à tiracolo. A propósito, Hillary é senadora por Nova York e Marta por São Paulo, os mais importantes estados dos respectivos países, logo se entenderão magnificamente.
A propósito, Dilma espera jantar com Barack Obama, mas isso dificilmente irá acontecer, pois Obama não estenderá totalmente o tapete vermelho para a petista, pois a relação entre os dois presidentes ainda não encontrou, digamos, nenhum motivo para cumplicidade.
A agenda de Dilma nesta segunda-feira consiste em uma reunião com Obama na Casa Branca, um almoço de trabalho e uma conferência com líderes empresariais. No mês passado, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, foi homenageado com um jantar de gala, numa simples visita aos Estados Unidos. Obama também o levou a um jogo de basquete universitário em Ohio, onde os dois líderes foram fotografados comendo cachorro-quente e batendo papo com torcedores.
Fará isso com Dilma?

 IDELI SE COMPLICA

A Ministra das Relações Institucionais disse que "não pediu" e que foi "legal" a doação eleitoral de uma empresa que mantém contrato milionário com o Ministério da Pesca ao PT de Santa Catarina em 2010 e que beneficiou sua campanha ao governo do estado.
Questionada por jornalistas se a compra das lanchas não teria sido um equívoco, Ideli, respondeu: meu amor, eu não posso dizer se foi um equívoco ou não.Quando cheguei ao ministério,tomei todas as providências no sentido de agilizar que as lanchas fossem utilizadas, entregues, fossem repassadas.Não posso me responsabilizar". O comentário foi feito depois do lançamento do pacote com medidas de estímulo à economia, no Palácio do Planalto.
O Tribunal de Contas da União, apontou superfaturamento e direcionamento da licitação para fornecer as lanchas no valor de R$ 31 milhões ao ministério. Ideli nega qualquer relação com a empresa e sustenta que os contratos foram fechados em gestões anteriores. Ela também afirmou que seria uma "temeridade" não efetivar os pagamento no final do contrato. Seus sucessores na pasta,no entanto, afirmam que a doação não deveria ter ocorrido e reconhecem "malfeito" no ministério.

CONTRA DECISÃO DO STJ

O Ministério Público Federal entrou com recurso contra a decisão do Superior Tribunal de Justiça que absolveu um acusado de estuprar três meninas de 12 anos. O caso ocorreu antes de 2009, quando a lei passou a considerar que ter relações sexuais ou praticar ato libidinoso com menor de 14 anos é "estupro de vulnerável, independente do uso de violência.
A corte fez o julgamento com base na leia anterior, que já considerava como estupro manter relações sexuais com menores, mas dava margem a interpretações. Os tribunais questionavam se era necessário ou não provar a violência.
No caso das meninas, o tribunal decidiu que não era possível presumir a violência porque eles se prostituiam e teriam condições de consentir a prática do sexo. A ministra Maria do Rosário, da Secretaria dois Direitos Humanos, condenou a decisão e afirmou que relativiza os direitos das crianças e dos adolescentes. A Associação Nacional de Procuradores da Repúyblica também manifestou repúdio.

OS POLÍTICOS

Os antigos se lembram de um samba da velha guarda, cantado por Moreira da Silva,cujo reflão principal dizia:"Quem estrá fora não entra,quem está dentro não sai".É assim que funciona a política brasileira. Muitos batalham loucamente para entrar, outros que já se encontram lá dentro jamais querem sair.
Não vamos citar nomes ou vamos? Ai é como diz o padre na hora do sacramento do casamento: até que a morte os separe.
Quantos anos têm na senadoria o senhor Ciro Miranda, PSDB de Goiás ? Ele diz que tem pena de seus pares que são obrigados a viver com 19 mil reais de salário, demonstrando com isso não precisar deste provento do Congresso Nacional.
Alie-se ao Demóstenes Torres e vai estar bem.

IRONIA DE FIDEL

Os ideais ditatoriais do ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, são evidentes. O Papa Bento XVI pediu encontro com o ditador. Foi  atendido. O ranço encravado na alma, se é que tem, levou a ironizar e, como debochando, a perguntar ao pontífice:" O que o Papa faz? "Ora,Fidel Castro, talvez por não ser religioso e não ter aceitado as colocações do Papa antes da viagem àquela ilha, tenha reagido com tamanha grosseria; aliás, comportamento de ditadores e presidentes de esquerdas.
Aquela autoridade da Igreja Católica tinha todo o direito de perguntar por que tantas pessoas estão presas e sofrem nas prisões cubanas. A lição que fica é a de que o Papa deve ter lhe respondido com a diplomacia que o encontro requeria. Já o seu irmão Raul Castro, mais sensato e um pouco aberto à democracia, o recebeu de braços abertos.
O povo da Ilha de Cuba foi quem saiu ganhando nessa visita papal, até porque o rebanho, mundo afora, está tentando, a todo custo, se reencontrrar no catolicismo.
Que assim seja.

CEB UM FRACASSO

A Companhia Energética de Brasília - CEB é, hoje, sem dúvida alguma um fracasso administrativo, graças a incompetência do atual governo de Agnelo Queiroz.
Falar com a empresa requer tempo e paciência. Ligar para o tal 0800, este não funciona e quando atende não tem solução para o problema. Existe uma Ouvidoria que pede um tal de protocolo da reclamação. Ora se não se conseguir falar com a empresa, como poder fornecer o número do protocolo?
A voz que atende na Ouvidoria, é de uma mulher com fala de arrogânte, despreparo e certamente; deve ser uma comissionada a mando do PT e. quem sabe, indicada pelo Paulo Tadeu, que era useiro e vezeiro em fazer protestos na frente da empresa; porém, como Secretário de Governo do Distrito Federal, se ausentou das manifestações de cunho politico e nada mais.
Bom, a Comunicação Social, o telefone não atende. Os assessores certamente saem da  sala para tomar cafezinho ou, quem sabe, bater papo com a diretoria.
Uma pena, pois  a CEB já foi uma grande empresa no Distrito Federal.
 
BÊBADOS QUE SE CUIDEM

A Câmara dos Deputados, poderá votar nesta semana o projeto que autoriza o uso de testemunhos, exame clínicos, imagens e vídeos como meios de prova para confirmar o estado de embriaguez de motoristas. A proposta é de autoria do presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro, deputado Hugo Leal, autor do projeto que deu origem à Lei Seca.
A estratégia dos parlamentares é votar agora  ampliação do número de meios de prova, que seria consensual, e deixar para um segundo momento o aumento das penas para quem for flagado sob efeito de álcool e a mudança nos índices de alcoolemia.
Atualmente, pela Lei Seca, só há crime quando a concentração de álcool no motorista for superior a 0,6 gramas por litro de sangue.

Nenhum comentário: