4/29/2012

LUIZ SOLANO – Repórter do Planalto






LULA VAI SER INVESTIGADO

Incentivador da CPI do Cachoeira,o ex-presidente Lula,pode virar um dos focos da comissão de inquérito. A oposição tirou da gaveta depoimento do advogado Rogério Buratti à CPI dos Bingos, em 2005, no qual ele diz que parceria com "empresários dos jogos" do Rio e São Paulo, Carlinhos Cachoeira teria dado R$ 1 milhão de Caixa Dois para a campanha do Lula em 2002.
Cachoeira foi preso pela Polícia Federal por envolvimento com jogo ilegal e seus negócios serão investigados por uma CPI no Congresso Nacional. A comissão tem maioria governista com votos suficientes para barrar os planos da oposição.
Diz o texto da CPI dos Bingos:"Rogério Tadeu Buratti afirmou de maneira firme e clara que o senhor Waldoniro Diniz, representando  José Dirceu, arrecadou dinheiro de "bingueiros" no Estado do Rio de Janeiro, e ainda da Gtech e do empresário de jogos Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, e que o valor arrecadado por Waldomiro Diniz, seria algo em torno de R$ 1 milhão de reais".
No total segundo o relatório, "empresas de jogos" irrigaram a campanha do presidente Lula e o PT com R$ 2 milhões de reais. Os recursos  transitaram pelo comitê financeiro da campanha. Buratti foi secretário do ex-ministro Antônio Palocci, na Prefeitura de Ribeirão Preto. Waldomiro Diniz, citado por ele, era o braço direito do então ministro José Dirceu, que coordenou a campanha de Lula em 2002.

CICLOVIAS NAS CIDADES

A Comissão de Desenvolvimento Urbano, reunida na Câmara dos Deputados, aprovou o parecer de autoria do deputado Valadares Filho, pela aprovação do Projeto de Lei 1.346, que dispõe sobre a criação de sistemas cicloviários. O Projeto de Lei propõe que o transporte feito por meio de bicicletas passe a ser de implementação obrigatória pelos três poderes federativos, com a criação da infraestrutura necessária para o trânsito de bicicletas como as ciclovias especialmente nas vias públicas.
Para Valadares Filho, qualquer medida que se propõe a contribuir para a melhoria dos meios de mobilidade urbanas merece toda atenção. "A população das grandes cidades brasileiras tem enfrentado sérios problemas para se deslocar, levando até seis horas diárias no deslocamento para o trabalho".
Solucionar os problemas centrais da mobilidade urbana nos grandes centros, é um dos principais desafios para as autoridades políticas do País. "Temos que encontrar soluções rápidas para evitar o caos nas grandes cidades e também para oferecer melhores opções de transporte público; o uso de bicicletas pode ser uma alternativa viável".
Para o deputado Valadares Filho, o incentivo ao uso de bicicletas é apenas uma ação alternativa, pois a solução do problema da mobilidade urbana depende um planejamento urbano e de transportes com a consequente alocação de recursos públicos necessários à implementação de um sistema integrado de transporte urbano.

BRASIL DESACREDITADO

No último concurso da Caixa Econômica Federal, á aparecem evidências de fraude. Tem sido assim neste país desde o mensalão. Descobriu-se tudo, não se puniu ninguém e o nosso Judiciário maior, o STF teima em deixa-los caducar.
O povo não pode perder esperanças num órgão desta magnitude. Estão permitindo que pessoas  se corrompam, roubem e nada, absolutamente nada aconteça.
Como punir outros casos menores? E é isto que temos visto atualmente. Os exemplos devem partir de cima, senão vamos assistir ao crescimento dos crimes hediondos, fugas, contraventores em todo o sistema político e de governo, sejam Prefeituras, Legislativos Estaduais, nosso Congresso Nacional, tudo corrompido.
Dá medo.
Estamos ficando desacreditados nestes setores vitais da sociedade, ver estes políticos no horário de propaganda eleitoral chega a ser ridículo.

TODO ROUBO É IGUAL

Para tentar diminuir a superlotação dos presídios, a comissão de juristas criada pelo Senado Federal para propor mudanças no Código Penal, aprovou, nos casos de condenação por furto de pequeno porte, a substituição da pena de prisão por pagamento de multa.
Em contrapartida, a comissão aumentou a pena para furto cometido por qualquer quadrilha com uso de explosivos, furtos de caixa eletrônico, por exemplo.
"Resolvemos o crime de furto, e destacamos a figura de furto básico que não será carcerário, especialmente se for de pequeno valor a coisa furtada. Ai estamos propondo a pena de multa", disse a este repórter o relator da comissão, o Procurador Regional da República, Luiz Carlos Gonçalves.
“Já para os crimes mais greves, as penas serão mais rigorosas”.
A conduta de furto muito mais grave cometido em razão de calamidade, aproveitando a miséria, a desgraça de coisa alheia, o crime de furto de coisas pública, o crime de furto no qual há emprego de explosivo, ou  de qualquer outro meio que cause perigo comum, foram criminalizado à parte, em figuras de furto qualificado com pena mais severa. No caso do furto, qualificado, de dois a oito anos e com uso de explosivo de quatro a dez anos.

DILMA E A ESQUERDA

A presidente Dilma mostra que realmente pertence ao grupo privilegiadíssimo da esquerda brasileira - a que está à esquerda do povo para continuar conseguindo benesses corporativas. Ela lutou com afinco para baixar as tarifas bancárias, que todos sabemos, baixam conforme o mercado, mas foi bom.
Já o que está em suas posses e que ela deveria dar prioridade visando permitir ao Brasil dar um salto de qualidade, para finalmente deixar de ser o eterno país do futuro, seria baixar a maior carga tributária do mundo dos seus 40% - se contarmos com o déficit público para os justos 26% - carga de paises com igual desenvolvimento do Brasil.
Mas ai ela teria que fazer reformas - o que iria contrair suas bases, acabar com a imensidão inexplicável de privilégios e com a podridão dos acharques aos cofres públicos.
Quanto a isso só blábláblá.
Assim, a sexta maior economia do mundo vive com IDH de paupérrimos -86ª posição. E temos que  atuar mais uma que só faz o país crescer em seus discursos
 
ELEITOR DE ONTEM E DE HOJE

O povo brasileiro, muitas vezes, aplica a sua crítica mordaz e o deboche para com os vilões da política. Na década de 1950, ainda no século passado, o povo do estado do Rio de Janeiro, descontente com a atuação dos seus edis, votou em massa para vereador em um filhote de rinoceronte chamado de "Cacareco", atração das crianças do Zoológico da Quinta da Boa Vista.
Foi um tapa na cara, com luvas de pelica aos maus políticos.
O fenômeno se repetiu nas recentes eleições de 3 de outubro de 2010. O povo de São Paulo, o estado mais desenvolvido e politizado do Brasil, repetiu a dose  votando, maciçamente para deputado federal num simplório palhaço de palco mambembe.
Abram os olhos aqueles que utilizam a festa da democracia como um balcão de negócios espúrios com dividendos futuros bastantes produtivos. Todos nós estamos de olho nesses maus políticos. No futuro, o povo, em vez de luvas de pelica, pode dar mesmo um murro na cara dos safados.

COTAS RACIAIS

O Supremo Tribunal Federal vem rasgando a Constituição deste País nos últimos anos. Reservar cotas para determinada raça é uma aberração. Não existe lei que determine isso. A decisão da Universidade de Brasília e outras universidades contraria o artigo 5 da Lei Maior. Não interessa se o beneficiário é negro ou pardo, rico ou pobre, desde que seja negro ou pardo.
Assim, os filhos do Ministro Joaquim Barbosa, poderão usufruir dessa regalia em detrimento de muitos ministros brancos pobres que não têm acesso à educação de qualidade. Cota tem que ser social.
Agora pergunto: será que na África, onde a minoria é branca existe cotas também? Quem tem capacidade passa nas vestibulares. Agora não é justo em um universo de 10 estudantes, todos tiram a nota 10 e o negro ou pardo tiram 4 e eles tem o direito de se matricular, tirando de cena aqueles que tiveram um melhor desempenho.

NOSSA EDUCAÇÃO

Lutar por algo que não vai dar em nada, pois o governo já disse que não tem aumento para ninguém neste ano, e prejudicando os estudantes do Distrito Federal, é uma vergonha. Pior que vão voltar as aulas e as reposições aos sábados é pura enganação, pois ensinar é última palavra.
A educação aqui em Brasília é a base da chantagem e ensinar que é bom nada. Alunos que mal sabem escrever, ler ou interpretar um texto são o futuro do Brasil.
Se pelo menos ensinar fosse algo verdadeiro, ai sim os professores deveriam ganhar muito.


Nenhum comentário: