4/13/2007

Mais um conto de Luiz Lima Barreiros (2)


UM ROMPIMENTO

(Este conto também tem dois outros títulos: “Não Faça de seu Sexo uma Arma: A Vítima Pode Ser Você!” ou “As Treinadinhas do Coronel”)

- Alô, Kátia... tudo bem ?
- Mais ou menos.
- Por que você não me ligou, e nem apareceu ?
- Porque eu não quis.
- Mas, por quê ? Não estava tudo certo ? Esta já é a segunda vez que eu tenho de jogar almoço fora
- È que eu enjoei estes almoços na tua casa, Antônio... pronto, só isso!
- Poxa, mas agora não foi você mesmo quem marcou ?
- Tu já estás bêbado ?
- Sabes que eu nunca fico bêbado, queridinha... e, além dos almoços, me falhastes duas outras vezes, este ano.
- E daí ?
- E daí, tem coisas... na última vez, teu comportamento já foi bem estranho.
- Lá vens tu com tua paranóia...
- Você sabe que eu sou professor de psicologia, psicanálise, psiquiatria e sexologia...
- Ah, ah, ah, ah ...
- Você sabe! Por que tu me perguntaste se eu tenho armas em minha casa ?
- Eu não disse isso, Antônio...
- Disseste, maluca!
- Quando ?
- Naquele dia... em que foste tomar banho, e saíste correndo do banheiro, pela metade, para pegar uma bolsinha, onde poderias ter trazido um gravador... naquele dia, em que fizeste tantas perguntas, e defendeste aquele crápula... e em que quiseste ver meus livros mais secretos; e, quando propuseste que eu sublocasse um quarto, para uma tua misteriosa amiga, que eu nunca vi, e que teria de ficar com todas as chaves...
- Estás doido!
- Estás treinadíssima!
- Treinadíssima em quê ?
- Alguém te orienta!
- Ah, ah, ah, ah...
- Tu és uma oportunista !
- Antônio, estás me chamando de oportunista !
- Estou, porrinha pirada... queres que eu repita? Oportunista e utilitarista! Você gosta de usar as pessoas!
- Antônio, eu vou desligar...
- Espera... eu vou te dizer mais duas coisas: tu tiras uma de esquerda, mas só se fores da pior linha... tu e o teu professor, com aquela velha tática de desestruturação psíquica ...
- Eu vou desligar, Antônio !
- Tu és uma dessas que tiram a calcinha pela causa, és ?
- Ahn ?...
- Ou o que é pior: és do outro lado, mais sujo ainda, sua revolucionária de merda !
- Eu te odeio, Antônio !
- Eu vou te dizer uma coisa que, talvez, não saibas... ouve bem o que eu vou te dizer: ano passado, um coronel da segurança lá da Universidade, um coronel, sua porrinha, superior ao teu pai...
- Antônio...
- Gabou-se, Kátia... para um grupo de amigos, e alguns meus, e que me contaram, que ele tem mulheres preparadíssimas, para irem para a cama de quem eles quiserem, e para pegarem as informações que eles quiserem.
- Cachorro !
- E eu vou saber o nome de todinhas !
Kátia soluça e desliga, bruscamente, o telefone.

Nenhum comentário: