8/03/2007


CARNAVAL

Macapá vai aparecer na Globo por somente R$ 7 milhões

Brasília - Macapá será tema do enredo da Escola de Samba Beija-Flor de Nilópolis no Carnaval de 2008, em fevereiro, fatalmente aparecendo na TV Globo, por apenas R$ 7 milhões. Seguir-se-ão, em outubro, eleições municipais. O prefeito de Macapá, João Henrique Pimentel (PT), afirma que essa fortuna será paga por estatais, Ministério da Cultura e empresas privadas que atuam no estado do Amapá. Escolas de samba cariocas, dirigidas por nebulosos chefões, tornaram-se balcão de negócios.
O enredo, “Macapaba: equinócio solar, viagens fantásticas ao meio do mundo”, conta a história da descoberta do Amapá até a fundação do estado, destacando aspectos culturais e geográficos, como o Marabaxo e a Festa de São Tiago, e a linha imaginária do Equador, que corta a cidade.
Cariocas, brasileiros de todas as latitudes e gringos vão ao Sambódromo para ver mulheres esculturais nuas e o espetáculo coreográfico. Quem estiver deveras interessado na história do Amapá deve ler pelo menos dois livros: Amapá: A terra onde o Brasil começa (Edições do Senado Federal, Volume 35, 269 páginas, Brasília, 2004), de José Sarney e Pedro Costa; e História do Amapá – Da autonomia territorial ao fim do Janarismo - 1943-1970 (Governo do Estado do Amapá, Macapá, 1998, 205 páginas), de Fernando Rodrigues dos Santos.
Em Amapá: A terra onde o Brasil começa, o senador maranhense José Sarney (PMDB) - eleito senador vitalício pelos amapaenses, presidente do Senado à época do lançamento do livro - tenta fazer poesia e faz propaganda pessoal, o que torna a leitura um desafio. Posto isso de lado, Amapá: A terra onde o Brasil começa é a mais importante pesquisa publicada sobre os primórdios do Setentrião.
História do Amapá – Da autonomia territorial ao fim do Janarismo - 1943-1970 é uma edição de autor, patrocinada pelo socialista, então governador, João Capiberibe (PSB). A pesquisa de Fernando Rodrigues dos Santos, graduado em História pela Universidade Federal do Pará (UFPA), é a única, sobre a história recente do Amapá, publicada em livro.
Aviso aos navegantes: Macapá não tem esgoto; suas ruas são esburacadas; falta água encanada, apesar de a cidade ser banhada por 200 mil metros cúbicos de água doce por segundo, pois situa-se na boca do maior rio do mundo, o Amazonas; a empresa de energia elétrica do estado - Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) – está falida; pelo menos um bebê morre por dia na maternidade local, contaminado por infecção hospitalar; pacientes morrem nos corredores do sistema de saúde local, saqueado pela máfia da Saúde (alguns foram presos, mas não devolveram dinheiro algum); macapaenses morrem de dengue aos magotes; a violência toma conta da cidade.
Quando ao Estado, o Amapá é o mais rico do país em pescados, pois suas costas atlânticas recebem húmus do rio Amazonas, mas quem pesca são piratas estrangeiros; muito do pescado vendido em Macapá é oriundo de Belém e Manaus. A Universidade Federal do Amapá (Unifap) não oferece curso de oceanografia, nem de engenharia de pesca.
Há mais de meio século, jorra dinheiro para a construção da única rodovia federal do estado, a Macapá-Oiapoque, BR-156, jamais concluída; já engoliu mais verba do que o Porto de Santana, na zona metropolitana de Macapá - um porto estratégico e subutilizado, que já deveria ter sido federalizado, mas nenhum político se interessa por isso. Por que será?
O Carnaval de 2008 será apenas mais um Carnaval para macapaenses e amapaenses, mas um Carnaval especial para o prefeito João Henrique Pimentel e para o governador Waldez Góes (PDT).

Um comentário:

Maria Rosa da Silva disse...

Ei o que é isto . teu estado ja foi homenageado, por uma escola de samba do Rio de janeiro, e nem por isto nos daqui do Amapá tentamos tirar o brilho , saude ? o teu estado tambem esta precario,saneamento em Belém agora que esta aparecendo . Nos daqui do Amapá somos um estado novo , ainda estamos engatinhando , e estamos sofrendo porque os ex governadores não fizeram um bom prenatal não cuidaram do estado quando ele estava sendo criado.
Pega um criança de dez anos para criar , vc tem que levar ao medico, fazer todos os exames e cuidar dos vicios que ela trz de uma familia que não soube dar uma boa educação nos primeiros anos de vida .
Nos daqui temos orgulho de nossa cidade . e temos certeza que ela vai brilhar na sapucai , vamos sair do anonimato mesmo que o vizilho fique jogando pedra no nosso telhado.