4/16/2008

Escola de Pesca é entregue no Outeiro


Será inaugurada nesta quinta-feira/17, às 09h, na ilha de Caratateua (Outeiro) a Casa Escola de Pesca, uma antiga aspiração do povo outeirense. Projeto Escola de Pesca vai levar para os moradores da região insular de Belém, na faixa-etária de 15 e 24 anos, o ensino fundamental completo (da 5ª à 8ª série) com um diferencial: a qualificação profissional. Ao final do curso, o jovem terá a opção de continuar os estudos de nível médio, técnico e até superior. Se optar por permanecer como pescador, será um profissional mais preparado e mais consciente e com maior retorno econômico. Ele terá inclusive a alternativa de deixar a atividade extrativista e passar a se dedicar à criação de peixes e camarão em cativeiro, a chamada aqüicultura. A Federação e a Colônia de Pescadores devem se articular com o Sindicato da Indústria da Pesca (Sinpesca) para que as empresas proporcionem a oportunidade de estágio em aulas práticas para os alunos da Escola de Pesca.
No estágio, os alunos aprenderão, entre outras coisas, como é feita a filetagem do pescado, a importância do gelo para a conservação do produto, a utilização dos subprodutos do peixe, etc. O Projeto Escola de Pesca é uma nova oportunidade para a comunidade pesqueira da cidade.
Trata-se de uma ação educacional realizada pela Prefeitura de Belém, através da união com parceiros internos da gestão como a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), a Fundação Escola Bosque, o Fundo Ver-O-Sol e a Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (FMAE), além das parcerias externas estabelecidas com a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), Federação dos Pescadores Artesanais do Pará, a Colônia de Pescadores de Icoaraci e a Associação de Pescadores da Região das Ilhas. Situada na localidade de Itaiteua, passagem São José, em Outeiro, a Escola de Pesca ocupa uma área total de 2,7 hectares onde aproximadamente 500 metros quadrados já foram construídos.
O terreno foi alugado pela PMB, mas mas já foi avaliado pela CODEM (Companhia de Desenvolvimento da Área Metropolitana de Belém) para efeito de desapropriação.As instalações são constituídas de três pavilhões: o primeiro é o pavilhão administrativo e de logística, que abrange secretaria, biblioteca, sala de estar, refeitório, cozinha, banheiros e depósitos (para equipamentos e material de pesca). O segundo é constituído por uma sala de aula, com capacidade para 30 alunos e o terceiro pavilhão constitui-se de alojamentos, com dormitórios, vestiários e armários de uso individual.
A seleção dos alunos foi feita através de parceria entre os professores da Escola Bosque e a Federação dos Pescadores, Colônia e associações de pescadores.Numa primeira etapa já foi selecionada a turma inicial, com 30 alunos, que começa a funcionar exatamente agora, com a inauguração da escola. Já há previsão de mais uma turma com mais 30 alunos, para iniciar no segundo semestre de 2008.Qualificação: A Prefeitura de Belém, através do Fundo Ver-O-Sol, está fechando convênio com a UFRA para serem ministrados cursos voltados para a pesca e aqüicultura. Os principais cursos são os seguintes: Embarcações e sistemas de pescarias; Máquinas e motores marítimos; Navegação básica; Equipamentos eletrônicos utilizados na pesca; Qualidade do pescado; Conservação do pescado; Piscicultura – os peixes ornamentais potencialmente geradores de renda; Carcinicultura e Carpintaria naval – a fabricação artesanal de barcos de pesca.A área insular de Belém é maior que a área subcontinental contínua. Existem aproximadamente 39 ilhas ao redor da capital, algumas delas, simples ilhotas desabitadas. As mais importantes são Mosqueiro, Outeiro, Cotijuba, Jutuba, Paquetá e Combu. Só a ilha do Mosqueiro, em extensão física, é maior que Belém e Icoaraci juntas.
______________
Frank Siqueira

Um comentário:

Fenridal disse...

Attention! See Please Here