12/07/2008

Cinco mil fiéis acompanharam o Círio de Nossa Senhora da Conceição


Foto: Mira Jatene







Um público estimado em quase cinco mil pessoas acompanhou o Círio de Nossa Senhora da Conceição das Ilhas, Padroeira de Caratateua (Outeiro), nesse domingo/7. A romaria – que foi prestigiada pelo Arcebispo de Belém D. Orani João Tempesta - saiu às 8h14m da capela de São Francisco de Assis, no bairro de Brasília, percorreu um trajeto de seis quilômetros até Igreja-Matriz na Rua Manoel Barata, bairro de São João do Outeiro.
A berlinda com a imagem da Santa foi levada num carro com uma canoa, cercada pelas guardas de Nossa Senhora de Nazaré, Nossa Senhora das Graças,de São Francisco (Tapanã), Santa Edwirges (Mangueirão) e Nossa Senhora da Conceição.
O Círio fez várias paradas onde foram lidos e refletidos trechos da Palavra de Deus, seguidos de hinos. O povo demonstrou o amor e devoção à Mãe do Céu. As ruas e alamedas estavam engalanadas e enfeitadas com balões, bandeirinhas brancas e azuis; e as janelas das residências apresentavam toalhas, flores e imagens de Nossa Senhora. No trajeto ocorreram várias homenagens pirotécnicas, destacadamente as promovidas pelas famílias Puga, Moraes, Cruz, Policarpo, Filpo e Aldemir Gadelha, na Rua Manoel Barata.
Na esquina da Avenida Nossa Senhora da Conceição com a Rua Manoel Barata, aconteceu a homenagem da Administração Regional do Outeiro e seus funcionários, comandada pelo titular, Edriano João Ferreira, com faixas, soltar de balões e queima de pistolas, foguetões e morteiros.
Na chegada foi feita uma pequena exortação e agradecimentos, e celebrada a Missa Final por D. Orani coadjuvado por vários sacerdotes, inclusive o padre Jonas Teixeira da Silva, titular da Paróquia da Conceição do Outeiro e de oito ilhas adjacentes
Antes do encerramento do ofício religioso, o poeta, escritor e folclorista Apolo Monteiro de Barros, representante da comunidade outeirense, declamou um poema homenageando Nossa Senhora da Conceição das Ilhas. Em seguida D. Orani João Tempesta procedeu a benção final.
O tema do Círio do Outeiro deste ano “Com Maria, Mãe Missionária defendemos a vida e paz”, de acordo com D. Orani, reflete um desejo do pastor universal o papa Bento VI, em seus prounciamentos recentes. “Este é também o nosso desejo e sonho: fazer de nossa Paróquia uma casa de todos os irmãos e irmãs que vivem uma intensa e profunda comunhão. Um exemplo de paz, de profunda comunhão, de amizade, de acolhida, de conversão do coração, de vivência de uma fé autêntica. O mundo hoje precisa de gente que viva a paz e o amor aqui em nosso lugar ou em qualquer outro. Além disso, o Círio da Imaculada nós chama a reflexão do verdadeiro católico, temente a Deus e a Sua Igreja”, enfatiza.
A procissão que deu origem ao círio de Outeiro foi realizada no ano de 1953, com uma pequena caminhada, missa e leilão. Antes disto, eram realizadas novenas e ladainhas na residência do casal de portugueses Joaquim e Maria Marquês, que deram início ao culto à Maria na ilha de Outeiro. Com o aumento no número de fiéis, a procissão ganhou maior proporção e em 1994 foi construída a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em atendimento aos apelos da comunidade. Ontem, o evento completou 55 anos de realização.

Nenhum comentário: