12/17/2008

Duciomar Costa recebe o Diploma de Prefeito de Belém


Foto: Antônio Silva








Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA) realiza nesta quarta-feira/17), no Hangar, às 17h30, cerimônia solene do ato administrativo de diplomação dos eleitos em Belém no pleito de outubro deste ano. O prefeito Duciomar Costa, reeleito para o segundo mandato, receberá o diploma em meio à solenidade que vai reunir, ainda, o vice-prefeito, Anivaldo Vale, e os 35 vereadores que constituirão o Poder Legislativo Municipal. A solenidade será presidida pela juíza da 96ª Zona Eleitoral, Eva do Amaral Coelho.
Perfil - Um homem simples, um político defensor daqueles que acreditam em suas propostas. É assim que se define Duciomar Costa, prefeito reeleito com o maior índice de diferença na história da reeleição em Belém.
Hoje aos 53 anos, Duciomar chegou a Belém aos sete e foi morar com os pais e mais 12 irmãos no bairro do Guamá. Duciomar, o Dudu, se apaixonou à primeira vista pela capital paraense.
Foi aqui que ele iniciou os primeiros passos de uma trajetória política de sucesso. Natural de Tracuaeua, localizada na região Bragantina, nunca esqueceu suas raízes. É o homem do povo que coloca o trabalho e a humildade a serviço da coletividade.
Duciomar é filho de Antonio Costa (in memorian) e Maria Lima da Costa, que tem 92 anos e até hoje é sua maior conselheira. Pai de Caroline, 27 anos; Jackelyne, 22; e Ducyomara, 19 anos, há quatro anos ele se tornou avô pela primeira vez e hoje já tem um casal de netos.
Formado em Ciências Jurídicas pela Universidade da Amazônia (Unama), concorreu a um cargo eletivo pela primeira vez em 1988. Chegou à Câmara de Vereadores, em uma eleição que, na opinião do próprio Dudu, aconteceu "por vontade de Deus", já que obteve apenas 1.384 votos em uma campanha 'boca-a-boca' e sem apoio de ninguém, mas entrou graças às sobras de votos de legenda.
Com o empenho e o forte trabalho deflagrado nas ruas, nos bairros, junto à comunidade, Duciomar passou a ser o candidato mais votado nos pleitos seguintes, exceto nas eleições de 2000, quando ganhou a confiança do povo de Belém, com 341 mil votos, e ficou a apenas 8 mil votos de conquistar o cargo de prefeito da cidade.
Nas eleições de 1992, Duciomar foi eleito vereador com 5 mil votos. Em 1994, já concorrendo ao cargo legislativo de deputado estadual, foi eleito com mais de 10 mil votos, sendo reeleito em 1998 como o deputado mais votado, com 50 mil votos. O mesmo aconteceu com a sua eleição para o Senado Federal em 2002, em que a expressiva votação de mais de um milhão de votos fez dele o senador mais votado do Pará.
No Senado, teve uma atuação de destaque, conquistou a amizade pessoal do presidente Lula e foi eleito o líder da bancada de sua legenda, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). Duciomar abriu mão desse momento político no Senado não só pelo sonho de governar Belém, mas por acreditar que tinha uma dívida com o povo da cidade, que sempre contribuiu com todas as suas eleições para os cargos legislativos.
"Voltei por acreditar nessa luta pelos mais necessitados, como ocorreu no Senado, onde mesmo sendo de um partido da base aliada do governo federal, não relutei em me manifestar contra o governo quando as propostas iam contra os interesses do trabalhador e das pessoas carentes, como ocorreu com a Reforma da Previdência Social, na qual fui voto contrário", afirma.
Como prefeito de Belém, Duciomar concluiu obras que foram deixadas paradas, sem recursos e até sem projeto, como o Complexo Viário do Entroncamento, a avenida João Paulo II, o Bondinho e Estação Gumercindo Rodrigues, a Nova Feira da 25 e a Nova Vila da Barca, entre outras.
Duciomar fez muito mais. Tirou Belém da condição de inadimplência junto ao governo federal e aos órgãos internacionais e captou recursos para grandes obras, como o Portal da Amazônia, que inclui a avenida Beira-rio, com uma nova orla e não apenas janela para o rio, com mais de seis quilômetros de extensão e toda infra-estrutura necessária.
Destaque ainda para a macrodrenagem da bacia da Estrada Nova, que vai beneficiar 350 mil pessoas em 10 bairros de Belém e acabar com os alagamentos na cidade. Outras obras de saneamento e assistência social também mudaram a cara de Belém, como a primeira etapa da Nova Vila da barca, que já beneficiou 146 famílias com casas novas e geração de renda - e ainda vai chegar a 600 famílias -, além da urbanização e alargamento da avenida Duque de Caxias e mais de 1.300 ruas asfaltadas em todos os bairros.
A Faixa Cidadão (calçadas livres de obstáculos), o Novo Radical Park com pista de skate e cross, Via Parque Marquês de Herval com ciclovia, Presidente Vargas sem ambulantes, Escola de Pesca, Escola Nativa, mais de 40 mil jovens e adultos formados pela inclusão digital do Fundo Ver-o-Sol, a cidade livre de epidemia da dengue e com 84% de cobertura nas campanhas de vacinação, além da distribuição gratuita de uniformes escolares e muitas outras ações de cidadania marcaram os primeiros quatro anos de gestão.
Com essa mesma determinação Duciomar pretende continuar o trabalho, concluindo o Portal da Amazônia, o Pórtico Metrópole (super passarela no Entroncamento), a segunda e terceira etapas da Vila da Barca, o asfalto nos conjuntos residenciais, a construção de mais creches e muito mais obras para manter Belém como a grande Metrópole da Amazônia.
Anivaldo Vale
Anivaldo Vale é o melhor vice-prefeito que uma cidade pode ter. Quem afirma é Duciomar Costa, que ao escolhê-lo, contou com o aval de todos os 10 partidos que fazem parte da coligação "União por Belém". Melhor por vários motivos. O principal deles, é que Anivaldo é um homem de trabalho, realizações e muita vontade de ajudar Dudu a construir a Metrópole da Amazônia.
Programa Luz no Campo - Um vice que tem muita história de trabalho para contar, e que vem, ao longo de sua trajetória política, beneficiando a população carente e necessitada do Estado e de Belém. Foi Anivaldo Vale quem ajudou o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso a criar o Programa Luz no Campo, que atendeu com energia elétrica 8 milhões de famílias em todo o país.
E mais, o programa alavancou a indústria e economia brasileiras gerando 241 mil empregos diretos e indiretos com a produção de mais de 3,7 milhões de postes, 569 mil transformadores e 709 mil km de cabos, o equivalente à distância de mais de 17 voltas em torno da terra.
No Pará, 139 municípios, dos 143 que o Estado possui, foram plenamente atendidos pelo trabalho do candidato a vice de Dudu 14, com energia elétrica, programas sociais de assistência, escolas e muito mais. O mineiro da cidadezinha de Ipanema, localizada na zona da Mata, desde cedo ofereceu o seu trabalho para conquistar o bem-estar da sociedade.E é exatamente isso que Anivaldo vai oferecer à população de Belém: "o trabalho não só que o povo vê, mas aquele trabalho que fica para beneficiar e mudar a vida das pessoas".
Uma história de muito trabalho
Com os pés fincados neste chão há 33 anos, Anivaldo tem 63 anos, cinco filhos e cinco netos. Pai dedicado, avô amoroso, ele entrou na política depois de uma vida inteira de trabalho duro como bancário. Depois de atuar como balconista e funcionário público municipal, Anivaldo Vale concluiu o curso de Contabilidade, passou no concurso do Banco do Brasil em 1968 e veio conquistando vitórias em uma carreira de sucesso profissional inquestionável.
Foi auxiliar de cadastro, fiscal da carteira agrícola, chefe da carteira agrícola, sub-gerente, gerente de várias agências, até que alcançou o posto máximo no banco - superintendente nos Estados do Acre, Pará e Amapá, mais Rio de Janeiro. Foi ainda membro do Comitê de Orçamento e Planejamento do Banco do Brasil durante cinco anos pelas regiões Norte e Nordeste, e membro do cobiçado Conselho Monetário Nacional. Depois da juventude e maturidade no Banco do Brasil, ele foi diretor e presidente do Banco da Amazônia, para o qual dedicou sua força e experiência.
Destaque na Câmara Federal
Em 1994 atendeu o convite e apelos para entrar na vida pública. Em 1994 disputou uma eleição difícil. E venceu. Obteve 41,8 mil votos e foi o terceiro deputado federal mais votado do Estado. Na segunda eleição, o povo deu a ele 66,8 mil votos, o terceiro mais votado do Pará e o mais votado da coligação que elegeu Almir Gabriel para o segundo mandato de governador do Estado.
Na terceira eleição, novo recorde de votos: 112, 8 mil, o mais votado da coligação que elegeu Simão Jatene ao governo do Pará. "O crescimento desses votos em cada eleição conteceu em função de muito trabalho", revela. Foi a larga experiência que lhe ajudou a abrir as portas em Brasília e se destacar como parlamentar.
Anivaldo Vale foi membro da Comissão de Orçamento da Câmara Federal e de seus mandatos. Além de obras para o povo simples de Belém e do Pará, ele conseguiu mais, muito mais. É de sua autoria a criação da Comissão da Amazônia e do Desenvolvimento Regional, que discute o presente e o futuro da região mais cobiçada do planeta. "Só temos essa Amazônia no mundo. Por isso criei a comissão para ser um núcleo de discussão". Participou recentemente da cerimônia que comemorou dez anos de criação da comissão, que teve até o lançamento de um selo, pela ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.
UFRA: Conhecimento a favor da Amazônia
É também de Anivaldo Vale a responsabilidade pela criação daprimeira Universidade Federal Rural da Amazônia, a UFRA, em Belém, antiga Faculdade de Ciências Agrárias do Pará (FCAP). "Foi Deus que me deu uma força para ir essas conquistas", declara.
Para esta disputa à Prefeitura de Belém, a expectativa para a campanha é de muito trabalho. E não poderia ser diferente. Anivaldo e Duciomar têm uma longa parceria e, como ele próprio define, "uma amizade respeitosa". "Duciomar abraçou a bandeira do trabalho, que também é a minha. Posso testemunhar que o Duciomar trabalhou muito em Brasília.E esta nossa parceria é saudável, é uma parceria entre duas pessoas que se respeitam, de dois amigos, e que estão com o mesmo compromisso de trabalhar", finaliza.

Comus

Nenhum comentário: