12/03/2008

Outeiro realiza o 55º Círio de Nossa Senhora da Conceição


Baseado no tema: “Com Maria, Mãe Missionária defendemos a vida e paz”, a comunidade católica do Outeiro realiza neste domingo, 7 de dezembro, mais um Círio de Nossa Senhora da Conceição das Ilhas, Padroeira da ilha de Caratateua. No sábado, 6, ocorrerá a trasladação quando a imagem da Santa deixará a Comunidade de São João Batista (bairro de São João do Outeiro) em direção à capela de São Francisco de Assis, no bairro da Brasília. O Círio, propriamente dito, sairá às 07:00 h, do domingo,7, - tendo a frente o Arcebispo de Belém D.Orani João Tempesta - obedecendo o seguinte itinerário: Rua Alegre, Rua Ubirajara Filho, São Miguel, BL 10, Avenida Nossa Senhora da Conceição, Rua Manoel Barata até a Igreja principal do Outeiro, num total de aproximadamente 10 quilômetros.
O Círio de Outeiro como é mais conhecido, realizado há 55 anos e que reúne algo em torno de 30 mil pessoas, tem o apoio não apenas da população – em sua maior parte, católica praticante – como do comércio, das empresas sediadas no Distrito e da Administração Regional,
A festividade tem início no sábado, 6 de dezembro e prossegue até o dia 14, com o arraial em torno da Igreja da Conceição, com a participação dos diversos segmentos existentes no Outeiro, no patrocínio da Barraca da Santa (noitários), bem como, o desenvolvimento de uma programação sociocultural e outras atrações.
A procissão atrai romeiros de todas as localidades vizinhas e ilhas próximas, e se constitui num dos maiores, senão o maior, evento religioso do ano da região.
A Administração Regional do Outeiro está preparando o distrito para a grande festa da infra-estrutura, bem como, da recuperação das vias constantes do trajeto da procissão. Estão sendo executados serviços de roçagem, limpeza, abertura de valas, retirada de entulho e tapa buracos em todas as vias, além da pintura interna e externa da Matriz de Nossa Senhora da Conceição.
Juntamente com a Rede Celpa, a administração estará fazendo a revisão de toda iluminação pública de todo que os romeiros que costumam acompanhar a trasladação o façam em segurança. Ao lado das providências materiais, a AROUT, através de sua Assessoria DEde Comunicação, em colaboração com os dirigentes da Festividade de Nossa Senhora da Conceição está promovendo a divulgação, conceituação na tentativa de atrair romeiros e fazer de todos conhecido o Círio do Outeiro.
Encontro - De acordo com o padre Jonas da Silva Teixeira, há três anos a frente da Paróquia do Outeiro, e presidente da Festividade, o Círio de Nossa Senhora da Conceição “é uma expressão de fé e devoção que une o povo de Caratateua em torno da Igreja de Maria, Mãe do Céu; além disso, o Círio é a expressão de um sentimento recheado de sonhos elevados ao transcendente pela busca da intercessão da Mãe deJesus, com o tótulo de Nossa Senhora da Conceição das Ilhas” (...) O Círio é a proximidade, encontro, festa, crescimento, manifestação, com o objetivo específico de fomentar a integração das comunidades ribeirinhas em torno do ato religioso e, finalmente, resgatar os valores religiosos, culturais e sociais inerantes à tradição das nossas ilhas.
Origens - O Círio do Outeiro teve origem com um casal de imigrantes portugueses, Joaquim e Maria Cortinhas Marques. Procedente dos Açores resolveram adotar a Ilha dos Barrancos – como era conhecida a atual ilha de Caratateua – como seu novo lar, e trouxeram a devoção a Maria. Como não havia capela, desde o início, o casal promovia em sua casa novenas e ladainhas em louvor â Mãe do Céu, duas vezes por ano. Em maio para Nossa Senhora de Fátima; e em dezembro para a Nossa Senhora da Conceição. Em 1932, com a ajuda da comunidade, o casal construiu uma capela de madeira em honra à Nossa Senhora da Conceição.
Após 21 anos de devoção, em 1953, os filhos de Joaquim e Maria resolveram dar seguimento a devoção. Dessa feita, além das ladainhas, e das novenas, também foi realizada uma procissão que constou de uma caminhada de menos um quilometro, após o que, foi celebrada Missa Votiva, e realizado um pequeno leilão.
Essa prática se prolongou até 1970. Nesse ano chegaram ao Outeiro as religiosas pertencentes à Congregação das Filhas do Coração Imaculado de Maria, conhecidas como “Irmãs Cordimarianas” – responsáveis pelo Colégio Nossa Senhora de Lourdes, de Icoaraci - que apoiadas pelos devotos e moradores deram continuidade às festas em homenagem a Nossa Senhora da Conceição. Com o apoio do então vigário de Icoaraci, Monsenhor José Maria Azevedo – a quem Outeiro estava subordinado - transformaram a pequena procissão no majestoso Círio, no mesmo formato dos dias de hoje “para que Maria se tornasse, cada vez mais, conhecida e amada pelo povo de Deus” .
Em 1977 com a cooperação das Agencias Distritais de Icoaraci e Outeiro, foi construída a atual Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, no mesmo local da antiga capela (Rua Manoel Barata).
A partir de 1981, o Círio passou “a rezar e a viver um tema que ajudasse os fiéis a crescer na fé, na consciência do compromisso batismal e no amor a Maria”. Desde 1986 os temas também passaram a ser ligados aos adotados pela Campanha da Fraternidade.
Até o ano de 1995, o Círio do Outeiro saía da Comunidade de Itaiteua. Em 1994, Outeiro foi elevada à condição de Paróquia dedicada à Nossa Senhora da Conceição. Dois anos após, atendendo aos apelos das demais comunidades que foram se formando ao longo dos anos, ficou estabelecido que o Círio deveria sair cada ano de um bairro-comunidade, próximo da Matriz. No ano passado, o Círio saiu da Capela de São José, em Água Boa. Este ano Brasília – o bairro Mao populoso do Outeiro retorna ao privilégio de acolher o início do Círio de Nossa Senhora da Conceição.
Feira
- Este ano, por iniciativa da Associação dos Artesãos da Ilha de Caratatateua (ASAIC), com o apoio da Prefeitura de Belém (Administração Regional do Outeiro) e da própria Paróquia, será realizada a I Feira de Exposição de Produtos Artesanais de Caratateua, no período de 13 a 15 de dezembro, no espaço em frente à igreja

Nenhum comentário: