5/08/2009

Governo do Pará dará apoio à 1ª Conferência Estadual de Comunicação


O governo do Pará dará total apoio à realização da 1ª Conferência Estadual de Comunicação e à ampliação do debate sobre a democratização da comunicação, mesmo em um momento de crise orçamentária, assegurou o secretário adjunto de Comunicação, João Vital, ao participar de sessão especial na Câmara Municipal de Belém, na tarde desta terça-feira (5), para discutir o evento. "Todos os esforços do governo, apesar da crise, vão ser mobilizados na área da comunicação para a realização da conferência", disse o secretário.
Requerida pelo vereador Otávio Pinheiro, e aprovada por unanimidade pelos demais parlamentares, a sessão para debater a conferência foi considerada "um marco histórico no Estado" pelos presentes. Também participaram representantes de entidades e associações envolvidas na comunicação no Estado.
Segundo Rômulo Guedelha, da Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraco), "planejar, mobilizar e convencer a todos da importância da conferência é o próximo passo a ser dado". Ele defendeu uma comunicação focada no cidadão comum, que sai da condição de simples receptor e se torna transmissor. "Esse é um momento importante de satisfação, mas também de desafio", ressaltou.
A democratização da comunicação foi um dos principais temas do debate. Otávio Pinheiro, que presidiu a mesa, defendeu a liberdade de imprensa com controle social, e não estatal, e a ampliação da participação popular nos debates relacionados à comunicação.
A conferência estadual deve ser precedida de cinco conferências regionais e vai culminar na conferência nacional, a ser realizada em dezembro deste ano.
Concessões - Leslie Caroline, da Sociedade Paraense de Defesa dos Direitos Humanos (SPDDH), sugeriu alguns pontos para debates na conferência, como o processo de concessões públicas para rádios e televisões e a conversão para novas tecnologias, como a tv digital, por exemplo. "É preciso que a população se sinta parte desse processo", ressaltou.
Moisés Ferreira, representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), frisou a importância da participação da Bahia e do Pará nessa construção. A Bahia foi o primeiro Estado a realizar conferências, ainda ano passado, antes do decreto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de 16 de abril de 2009.
O Pará criou em setembro de 2008 um grupo de trabalho reunindo diversas entidades regionais de comunicação, para discutir a realização da conferência. A governadora Ana Júlia Carepa deve assinar o decreto, oficializando a conferência, na próxima semana.

______________
Nerusa Palheta
- Agência Pará

Nenhum comentário: