5/08/2009

SERESTA

Nesta sexta-feira/08, tem a tradicional Seresta no Fluminense com a dupla mais romântica da região Oeste do Pará, Milton & Milena. Imperdível, é casa cheia. Ambiente tranqüilo para as pessoas de alta sensibilidade, essa você não pode ficar de fora. O Fluminense está agora sob a administração da competente Diretora Social, minha amiga Jocilene Fonseca. Atendimento de primeiríssima qualidade. Confira, o encontro está marcado.

EPIDEMIA
De tempos em tempos, o mundo é surpreendido por uma nova pandemia que chega de forma avassaladora, mata muitas pessoas, se espalha por vários países e desaparece. Quem não se lembra do vírus ebola, que já matou mais de 700 pessoas na África, virou temor mundial e foi até tema de filme (“Ebola, o vírus da morte”, de 1995)? Ou das históricas peste negra e gripe espanhola. Ou, ainda, as mais recentes gripe aviária e SARS (do inglês sever respiratory syndrome, ou síndrome respiratória aguda grave)?

EPIDEMIA II
Segundo o infectologista Stefan Cunha Ujvari, autor dos livros “A história da humanidade contada pelos vírus” e “A história e suas epidemias”, as grandes epidemias ou pandemias surgem quando há um grande número de pessoas suscetíveis a um novo vírus ou por situações criadas pelo próprio homem, como a grande aglomeração de pessoas e de animais e a falta de higiene e saneamento básico nas cidades. “No passado, antes das vacinas, havia epidemia de sarampo, varíola, catapora. Elas surgiam, acometiam grande parte da população e as pessoas ficavam imunes”, diz. O infectologista conta que a gripe espanhola foi o caso de pandemia mais parecido com o atual surto da gripe suína: “É o tipo de epidemia que acontece com o surgimento de um vírus novo, como esse de agora, que ninguém teve contato, então, praticamente toda a população do mundo fica suscetível”, explica.

ESTRANGEIROS
Segundo dados de uma pesquisa divulgada no inicio do ano, nosso País é o quarto mais difícil para a adaptação de expatriados, pessoas que, vinculadas a uma empresa, mudam do país de origem para trabalhar em outro. Entre os principais motivos de estranhamento estão à informalidade do brasileiro, a burocracia e a desigualdade social. Segundo Mariana Barros, sócia da empresa Differänce, que dá treinamento e consultoria intercultural a expatriados, apenas um em cada quatro estrangeiros que vêm para o Brasil permanece aqui até atingir as metas estipuladas a ele. Os demais não conseguem se adaptar. “A mudança internacional é muito estressante. Uma expatriação pode custar US$ 1 milhão (R$ 2,2 milhões) por ano para as empresas, que cobrem gastos com carro, moradia, alimentação e seguros de vida para toda a família do funcionário expatriado”, O tratamento aos santarenos em Alter do Chão é cruel, imagine aos estrangeiros, é um assalto.

ESTRANGEIROS II
O egípcio Mohamed Aly, dono de uma empresa de idiomas, sabe bem como é difícil se adaptar aos costumes de terras tupiniquins. “Aqui, se você não sabe chegar a algum lugar pode pedir orientações a qualquer um na rua, diferente do que aconteceria nos Estados Unidos, onde teria que comprar um mapa. Além disso, a burocracia, constante no dia a dia do brasileiro, o desanima. “É tudo muito difícil”, reclama Aly. Desde 2007, quando chegou ao Brasil, ele tenta tirar o Registro de Estrangeiro. “Da última vez que fui lá me disseram que demoraria mais seis meses. E acham normal eu ter que esperar esse tempo todo”, espanta-se. No mundo inteiro, o Brasil é conhecido como um país de braços abertos para todos.

ESTRANGEIROS III
Mas, para alguns grupos de estrangeiros, o sonho de conseguir uma vida melhor aqui – afinal, apesar da desigualdade social, somos a décima economia do mundo – essa imagem é desmistificada. "No mundo, as pessoas só conhecem as coisas ruins da África, assim como só conhecem os encantos do Brasil", diz o professor universitário Bas' Ilele Malomalo, da República Democrática do Congo, que confessa estar desencantado com o País. Há 11 anos no Brasil, ele nota um olhar diferente por parte dos brasileiros e credita isso à cor da pele. "Há muita diversidade, mas o brasileiro não lida bem com ela. O País assina todos os tratados, tem todas as leis, mas, na celebração da cidadania, deixa a desejar e isso afeta o estrangeiro."

CONCERTO
A contralto Gabriella Florenzano e o pianista Humberto Azulay farão concerto beneficente no domingo/10, Dia das Mães, às 20 horas, na Capela de Santo Alexandre em Belém, em prol de doações de instrumentos e materiais para o Projeto Cururu e a Escola de Música Maestro Wilson Fonseca, que atendem crianças e adolescentes carentes com educação musical e formação cidadã. No repertório, peças de Bach, Mozart, Gustav Mahler, Maurice Ravel, Gabriel Fauré, Waldemar Henrique e Wilson Fonseca. Participação especial de Vicente Malheiros da Fonseca ao piano e do Coro do Projeto Cururu, em versão teatral da Lenda do Boto, do Maestro Isoca. A instituição precisa de instrumentos de sopro (flautins, flautas, oboés, clarinetes, saxofones e fagotes), de metais (trompetes, trompas, eufônios, trombones e tubas) e de percussão (pratos, caixas, bombos, xilofones, glokenspiels, vibrafones, marimbas, sinos, triângulos, tímpanos). Para implantar o Projeto Cordas e criar a primeira orquestra sinfônica do interior da Amazônia, depende de professores e do instrumental (violinos, violas, violoncelos e contrabaixos de cordas).
ENLACE
Neste sábado/09, acontece o casamento do casal Mirian Pedroso e Jerffeson Miranda. Lamentavelmente não estaremos presente por estarmos na capital do Estado tratando assuntos profissionais. Fica registrado a minha alegria em constatar que um nasceu para o outro e que serão felizes para sempre. Amigo Jerffeson Miranda, a magnitude de uma missão está na capacidade de unir as pessoas. Mais do que nunca hoje a humanidade está suplicando por união. Em todos os desequilíbrios há um grito velado de amor; há mãos se estendendo em busca de alguém; há procura de afeto... Promover a comunhão entre as pessoas é o gesto mais nobre e urgente que um ser humano precisa. Que o amor fraterno vos una um ao outro, com terna afeição, rivalizando-vos em atenções recíprocas. Mirian e Jerffeson, que vocês se completem com muita alegria, deixando-vos guiar pelos mesmos propósitos e pelo mesmo amor, em harmonia buscando a unidade. Parabéns e que Deus ilumine sempre os dois.

INOVAÇÃO
Pacientes e acompanhantes do Hospital Municipal de Santarém foram surpreendidos com a implantação de um novo serviço, realizado pela direção do HMS em parceria com profissionais de salões de beleza da cidade. Os atendimentos fazem parte do projeto Aparência Alterada na Higiene Humanizada, de iniciativa do novo chefe do setor de enfermagem do HMS, Anderson Cavalcante. Através do projeto, serão ofertados atendimentos de corte de cabelo a pacientes do Hospital Municipal e seus acompanhantes. Nossa primeira experiência foi um sucesso. Pretendemos oferecer os serviços pelo menos uma vez por semana, mais precisamente às terças-feiras, destacou Anderson. O Prefeito de Santarém José Maria Tapajós e o Secretário de Saúde José Antônio Rocha estiveram no hospital, percorreram todos os setores da unidade de saúde e aprovaram a iniciativa.

NOTA SOCIAL
Aniversariando nesta sexta-feira/08, completando um aninho a meiga Sandra Lauana Gomes Soares, filha dos sargentos da PM Sandro e Lilia Soares. A comemoração acontece amanhã sábado/09, na residência dos avôs Newton Simplício e Deusa Gomes, que estão radiantes com a bela netinha. Parabéns com saúde e muitas felicidades.

MOTINHAS_______________________________
O Movimento pelo Plebiscito do Novo Estado Sustentável (Tapajós), convida a sociedade do Oeste do Pará para participar da 3ª reunião de trabalho de formatação do Estado do Tapajós que será na ULBRA no dia 18 de maio de 2009, de 19:00 às 21:00 horas. Apresente propostas, participe. ●●● As regiões mais atingidas pelas enchentes são as do Baixo Amazonas e Tapajós, onde o nível do rio já está a 8,5 metros acima do nível normal. A região de influência dos rios Araguaia e Tocantins também está impactada e em Marabá 346 famílias estão desalojadas. ●●● Chegam nesta sexta-feira/08, dez mil novas cestas básicas para serem distribuídos entre as famílias mais atingidas nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, onde 550 estão desalojadas. A região do Tapajós já recebeu três mil kits de emergência que incluem agasalhos, colchões, redes, medicamentos e alimentos. ●●● É impressionante como algumas pessoas tentam culpar o prefeito José Maria Tapajós pela situação de emergência que vive nossa Região. Segundo historiadores esta é a maior enchente dos últimos anos. Acredito que o prefeito por ser um homem da região de várzea está sofrendo junto com o seu povo, até porque, é possuidor de uma enorme sensibilidade política, acumulada através de seis ou mais legislaturas. ●●● Dentro de suas limitadas possibilidades a Defesa Civil do Município vem fazendo o que pode. Lembro-me que a recente enchente em Santa Catarina sensibilizou todos os órgãos do Governo Federal, se veio alguma autoridade de Brasília para ver os estragos aqui, deve ter sido algum urubu que perdeu a rota e deve estar voando no céu azul de nossa Região. ●●● Fui diretor de futebol de um grande clube de Belém, não consigo entender o que aconteceu com o time do São Raimundo no último domingo em Belém contra o Paissandu. Não tenho dúvida, houve problema extra-campo. A Pantera fez um campeonato regular em todas as partidas e na final foi Apático. Pelo amor de Deus não venham querer culpar o Valtinho. ●●● A programação realizada pelo Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Santarém e Belterra foi prestigiada pela classe política local. Secretário Inácio Corrêa representou o Prefeito Municipal, Nélio Aguiar presidente da Câmara Municipal, Everaldo Martins Filho, Secretário de Planejamento e este jornalista representando o Vice-governador Odair Corrêa. O evento que marcou a apresentação das novas catracas eletrônicas aconteceu na última sexta-feira/01, no Barão Center Hotel. Parabéns ao presidente do Setrans Washington do Valle. ●●● Vereador Nélio Aguiar em pronunciamento na Câmara Municipal falou da importância do referendo, para saber se a população santarena aceita ou não a mudança de horário, igual ao de Brasília. ●●● Acompanhe as finais dos campeonatos Paraense, Carioca e Paulista, no BAR DO NILO. Ambiente saudável e papo gostoso, sempre ao lado da cerveja gelada e tira-gosto de qualidade. Barjonas de Miranda próximo a Rui Barbosa. Parabéns ao amigo Nilo pela passagem do seu aniversário que ocorreu no último domingo/03, não faltou a gostosa e tradicional galinha caipira. ●●● O melhor Açaí da cidade é com o casal Leitão e Terezinha, na Borges Leal, feito dentro do mais alto padrão de higiene. ●●● Dedé o REI DO FRANGO, Picanha, Lingüiça e Costela, atende clientes e amigos na Silva Jardim entre Borges Leal e Marechal Rondon. Fone 3523 7363. Atendimento nota 10 dos três mosqueteiros Diego, Degenaro e Patrick. ●●● Grande Dedé aficionado por Opala tem o mais incrementado da cidade. Cor cinza é bonito e possante. Não tem preço, seu amor pelo carrão cobre qualquer oferta. ●●● Fui.

Nenhum comentário: