6/01/2009

Nem sempre quem joga melhor, vence o jogo



O Município de Belém e o Estado do Pará recebem a exclusão de Belém entre as cidades sedes da Copa 2014 com tristeza. Tudo que o Governo do Estado do Pará e a Prefeitura de Belém poderiam fazer foi feito. Nosso projeto para receber a Copa 2014 foi considerado por especialistas o terceiro melhor entre as dezessete cidades candidatas. Estivemos presentes nas etapas de seleção e cumprimos todas as exigências impostas pela Fifa.

Belém está estruturada para sediar mega eventos. Sua localização geográfica facilita o acesso através de todos os meios de transporte. O Círio de Nazaré, anualmente, reúne mais de 1 milhão de pessoas. Só em 2009 a cidade recebeu mais de 100 mil pessoas de todas as partes do mundo, no Fórum Social Mundial; e o GP de Atletismo, que anualmente traz para Belém os melhores atletas do mundo, arrasta milhares de expectadores ao nosso Estádio Olímpico.

Ao deixar Belém de fora, a Fifa não levou em consideração os critérios técnicos, a tradição e a paixão do povo paraense pelo futebol, que gera uma das mais elevadas rendas nos jogos do campeonato brasileiro. Temos um dos melhores estádios do País, que precisa de apenas 25% de obras de adaptação para cumprir os critérios técnicos dos organizadores do evento.

A grande surpresa para nós é que a chamada “Copa do Meio Ambiente” inclui apenas uma cidade da região que representa mais da metade do território brasileiro. Enquanto o Nordeste ficou com quatro cidades; o Sudeste três, o Centro Oeste e Sul do Brasil, com duas cada. Mas nem sempre o time que joga melhor vence o jogo. Quem perde com isso é o mundo, que não terá oportunidade de conhecer uma das mais belas e acolhedoras cidades do Brasil.

Já a população de Belém vai continuar ganhando com as obras iniciadas e planejadas na Região Metropolitana, que serão mantidas e executadas: duplicação da rodovia Transmangueirão; a ampliação da avenida Independência; a recuperação da rodovia Arthur Bernardes, da Perimetral; elevado da avenida Júlio César;Portal da Amazônia, Binário da Senador Lemos/Pedro Álvares Cabral; ampliação da avenida João Paulo II; e Pórtico Metrópole.

Nós, o Governo do Pará e o Município de Belém, cumprimos todos os critérios e exigências técnicas para trazer a Copa a Belém. E até nos antecipamos com o estudo de pré-viabilidade de gestão do Estádio Mangueirão. Portanto, a exclusão de Belém, foi uma INJUSTIÇA com o povo paraense. Mas nós vamos continuar torcendo pelo Brasil e trabalhando pelo desenvolvimento de Belém e do Estado do Pará.


______________________________________________________

Governo do Estado do Pará
Prefeitura Municipal

Nenhum comentário: